Home / Conteúdos / Notícias / Bachelet e Matthei se enfrentarão no segundo turno da eleição presidencial chilena

Bachelet e Matthei se enfrentarão no segundo turno da eleição presidencial chilena

1146108Do Opera Mundi

Com 96,46% das urnas apuradas, o Servel (Serviço Eleitoral) anunciou oficialmente neste domingo (17,11%) os resultados que levam matematicamente a eleição presidencial no Chile. A disputa ficará entre a ex-presidente Michelle Bachelet (Partido Socialista, centro-esquerda) e a governista Evelyn Matthei, da UDI (União Democrática Independente, direita).

Apesar de obter uma ampla vitória nesta primeira votação(com 46,73% dos votos até essa última parcial) a socialista Michelle Bachelet não conseguiu seu principal objetivo, vencer sem necessidade de segundo turno, ficando a 3,27 pontos percentuais de consegui-lo.

A conservadora Matthei, que representa a aliança do atual governo do presidente Sebastián Piñera, está com 25,00% das preferências. O resultado final deste primeiro turno estaria muito próximo do primeiro turno da eleição de 2005, quando Bachelet venceu sua primeira eleição e terminou o primeiro turno com 47%, contra 25% de Sebastián Piñera, que depois perderia no segundo turno.

Em seu discurso na sede eleitoral da coalizão Nova Maioria, Bachelet reconheceu o segundo turno e admitiu que seria “muito difícil” passar agora. “”Que não tentem ocultar a verdade desse resultado. Mesmo não sendo uma vitória no 1º turno, foi uma ampla vitória, que mostra que os chilenos estão do lado das nossas ideias”. Para Bachelet, a vitória deste domingo representa o apoio a temas como educação gratuita, maior igualdade social e integração e uma reforma tributária que combata a desigualdade. “Hoje os chilenos disseram que querem uma nova constituição!”, afirma em discurso a militantes, referindo-se à proposta de convocar uma Assembleia Constituinte.

Já Matthei, sorridente, disse que o resultado mais uma vez contrariou as pesquisas de opinião. “Ganhamos novamente das pesquisas, que fizeram um esforço em mostrar uma falsa vitória no primeirto turno, e esconderam essa parte do país que está com medo de que a esquerda impulse seu projeto de desestabilização do país”, afirmou.

Os outros

Entre os demais candidatos, Marco Enríquez-Ominami, do Partido Progressista, de esquerda, ex-integrante do PS, está em terceiro lugar, com 10,94%, uma pequena margem à frente de Franco Parisi, com 10,14%, candidato independente de tendência ultralibeural que se destacou com um discurso pregando a “política sem políticos”.

Os demais candidatos tiveram percentuais discretos: Marcel Claude (Partido Humanista, esquerda) é o quinto, com 2,80%; seguido por: Alfredo Sfeir (Partido Ecologista Verde do Chile), com 2,33%; Roxana Miranda, do Partido IGUAL, de esquerda, com 1,26%; Ricardo Israel (Partido Regionalista dos Independentes), com 0,57%; e, em último, Tomás Jocelyn-Holt, independente de tendência democrata-cristã, com 0,19%.

Apenas 1% dos eleitores anulou o voto, enquanto 0,7% votaram em branco.

Os datos foram entregues pelo Servel (Serviço Eleitoral chileno) e divulgados pelo canal de televisão estatal TVN. O segundo turno entre Bachelet e Matthei se realizará no dia 15 de dezembro.

Veja também

Juntos com Rossetto pelo Rio Grande

No final da década de 1990, nos disseram que as políticas “modernizantes” do neoliberalismo seriam …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Comente com o Facebook