Home / Temas / Internacional / Encontro Anti-imperialista pela Democracia e contra o Neoliberalismo ocorrerá em Cuba no mês de novembro

Encontro Anti-imperialista pela Democracia e contra o Neoliberalismo ocorrerá em Cuba no mês de novembro

“Considero um grande avanço a declaração emitida no Encontro de Paradigmas Emancipatórios em Havana pela Coordenação da Jornada Continental pela Democracia e contra o Neoliberalismo. Porque reafirma a necessidade de articularmos no continente uma luta dos movimentos sociais e organizações sociais em defesa da democracia, contra essa onda conservadora com características fascistas que nós enfrentamos hoje na região. Através da Confederação Sindical das Américas, que agrega o movimento sindical do Canadá até Argentina, colocamos toda nossa disposição em articular essa Jornada. Além das mobilizações que nós faremos durante o ano, nos encontraremos de 1 a 3 de novembro de 2019 em Havana, Cuba, para o Encontro Anti-imperialista pela Democracia e contra o Neoliberalismo.

A CSA defendeu, junto com as organizações da Jornada, que avancemos na articulação que temos entre os movimentos sociais, estabelecendo e fortalecendo o diálogo político com os partidos políticos progressistas e de esquerda na nossa região, tendo como base os do Foro de São Paulo, e com os parlamentares progressistas de esquerda da região, sobretudo aqueles que estão nos parlamentos sub-regionais. A ideia é construirmos de maneira permanente, sistemática, articulada e mobilizada uma grande frente no continente para barrar a onda conservadora e derrotar o fascismo. Nesse sentido, Havana nos convoca para estarmos todos e todas, lutadores e lutadoras sociais e políticos, parlamentares, militância sindical, ambiental, cultural, de juventude, antirracista, LGBTs, de igrejas, para nos juntarmos numa só voz. Rumo ao Encontro Anti-imperialista pela Democracia contra o Neoliberalismo!”

-Rafael Freire, Secretário de Política Econômica e Desenvolvimento Sustentável da Confederação Sindical das Américas (CSA)

CONVOCATÓRIA ao Encontro Anti-imperialista pela Democracia e contra o Neoliberalismo

Caros companheiros e companheiras de luta:

Em novembro de 2015, organizações sociais cubanas, junto a redes e articulações regionais com a presença de movimentos populares de todo o continente, celebraram em Havana o Encontro Hemisférico Derrota da ALCA, dez anos depois. Com esse esforço, reconstruímos como espaço de diálogo permanente a Jornada continental pela democracia e contra o neoliberalismo, da qual compartilhamos agendas de luta com eixos na defesa da democracia, da soberania e da integração dos povos contra o livre comércio e as transnacionais da região.

Dando novos passos neste caminho e conscientes da necessidade de fortalecer uma agenda unitária e articulada das forças de esquerda no continente, a Jornada Continental pela Democracia e contra o Neoliberalismo e o Capítulo Cubano dos Movimentos Sociais, CONVOCAMOS o “Encontro Anti-imperialista pela Democracia e contra o Neoliberalismo”, a realizar-se em Havana, Cuba, de 1º a 3 de novembro de 2019.

Nestes anos de construção permanente, convocamos mobilizações em nossos países, criamos documentos-base de caráter político-pedagógico para a militância, desenvolvemos o Encontro Continental pela Democracia e contra o Neoliberalismo em Montevidéu em 2017, onde fortalecemos nossa experiência de convergência da comunicação popular, tivemos amplos e profundos debates e chegamos a um documento final com forte consenso anti-imperialista, antipatriarcal e anticolonial para enfrentar a etapa que estamos vivenciando na região.

Hoje em nosso continente as políticas neoliberais de submissão a uma ofensiva de natureza imperialista e oligárquica se aprofundam, o capitalismo destrói nossos povos e territórios através das mais perversas expressões do capital transnacional, discursos e práticas conservadoras e fundamentalistas contra a dignidade humana são fortalecidos, criminalizam as lutas e líderes sociais e políticos, destruindo a possibilidade de viver em harmonia com a natureza. Neste contexto, precisamos fortalecer nossas alternativas com todos e todas que abraçam o acúmulo que construímos para seguir disputando nosso horizonte de independência e justiça social. Por isso, somos convocados para Havana.

Convidamos os movimentos populares, as redes e plataformas do continente, a todas as forças políticas de esquerda a assumirem esta CONVOCATÓRIA, subscrevendo-a e comprometendo seus esforços em prol da mobilização para nos encontrar novamente em Cuba, em um espaço inclusivo, aberto, diverso, de confiança, diálogo e compromisso político. Teremos debates voltados ao fortalecimento da articulação e da unidade em ação frente a todos esses desafios no compromisso emancipatório e antissistêmico dos movimentos sociais e populares.

Façamos deste encontro, com a participação de todos e todas, um tempo que seja testemunha de nossas vontades de luta e vitória, que impulsione o enraizamento do processo iniciado a partir da Jornada Continental ao interior de nossos países nas bases de nossas organizações, e permita visibilizar e articular as mais diversas expressões das lutas e resistências existentes.

Para assinar a Convocatória, pode escrever a: enc.jornada2019@gmail.com

Jornada Continental pela Democracia e contra o Neoliberalismo.

Capítulo Cubano dos Movimentos Sociais

Para mais informações, acesse a página da Jornada Continental

*Traduzido por Iuri Faria Codas

Veja também

Por que os bancos querem a capitalização da previdência. E por que o Brasil deve rejeitá-la | Juberlei Bacelo

Na proposta do governo Bolsonaro para a previdência há uma espécie exótica que ameaça o futuro dos trabalhadores e do próprio Estado brasileiro: o sistema de capitalização. Mesmo que não tenha sido mantida pelo relator da reforma, a capitalização é um sonho do qual o Ministro Paulo Guedes não pretende abrir mão.

Comente com o Facebook