Home / Conteúdos / Artigos / Executiva do PT-RS denuncia perseguição à Lula e conclama a militância e a população para atos de defesa e solidariedade

Executiva do PT-RS denuncia perseguição à Lula e conclama a militância e a população para atos de defesa e solidariedade

Pepe Vargas | Foto: Brizza Cavalcante/Ag.Câmara

O Juiz Sérgio Moro, como se esperava, condenou, em sentença, o Presidente Luis Inácio Lula da Silva

As alegações da sentença não se baseiam em provas porque elas não foram apresentadas pela acusação e no curso do processo, Lula, ao contrário, demonstrou cabalmente sua inocência.

A decisão publicada no dia de hoje quando se inicia o processo de acatamento ou não da denúncia contra Michel Temer por parte da Câmara Federal, por corrupção, mais uma vez demonstra a ação de determinados agentes do Estado em colaboração com o golpe que se processou no Brasil para derrubar a legítima presidenta Dilma e ascender ao governo aqueles que querem “estancar a sangria” e retirar direitos do povo.

Não à toa, na sentença, o titular da vara de Curitiba demonstra repulsa pessoal ao ex-presidente e sua defesa, em contrário a sua proximidade com Aécio Neves e Michel Temer explicitada em encontros cheios de gentilezas, sorrisos e afagos.

Lula é vítima de justiçamento e foi condenado sem a observância do que determina a Constituição, a Lei processual penal, o código penal e as Leis criminais especiais que foram usadas para lhe impor a pena.

Em razão disto, espera-se que o Tribunal Regional Federal da 4ª Região – TRF4, em recurso que será apresentado, reestabeleça a justiça e absolva Lula.

Conclamamos a militância do PT, dos movimentos sociais, das forças democráticas e da população em geral, a ficarem atentos e participarem de atos e vigílias públicas em defesa e solidariedade ao presidente Lula.

Porto Alegre, 12 de julho de 2017.

Executiva Estadual do PT-RS
Pepe Vargas
Presidente PTRS

Veja também

A antirreforma trabalhista: sem direitos e sem emprego | Miguel Rossetto

A nova reforma trabalhista é filha do golpe contra a democracia, a soberania nacional e os direitos do povo. Reduz o valor do trabalho e aumenta a exploração do trabalhador. Interrompe o ciclo virtuoso iniciado em 2003. Quer enfraquecer os sindicatos, acabar com direitos trabalhistas, dificultar o acesso à Justiça.

Comente com o Facebook