Home / Conteúdos / Artigos / Fórum de Reflexão Política discute Reforma Política

Fórum de Reflexão Política discute Reforma Política

O Fórum de Reflexão Política realiza neste sábado mais um debate.

Reforma Política
Expositores: José Eduardo Cardozo e Maria Victória Benevides
Local: Sindicato dos Engenheiros de SP – Rua Genebra, 25 (ao lado da Câmara Municipal)
Quando: Sábado, 25 de março às 16 horas

O que é o Fórum

O Fórum de Reflexão Política é uma iniciativa de um grupo de petistas preocupados com os caminhos que o Partido tem percorrido. Este grupo de militantes e simpatizantes, com as mais diversas trajetórias, histórias, tendências e inserções, têm em comum alguns pontos de vista.:

• Ainda acreditam que o PT é uma alternativa viável, um instrumento importante da construção de um Estado Democrático, de cunho predominantemente social, republicano e justo e, nesse sentido, procuram resguardar os valores éticos e de busca da transformação social que constituem o patrimônio acumulado pelo PT nestes 25 anos.

• Entretanto, não concordam com algumas das teses e práticas que vêm sendo desenvolvidas ultimamente em várias instâncias partidárias e, portanto, têm a responsabilidade histórica e política de apontar essas divergências e propor as mudanças que julgam necessárias, através de um debate amplo, aberto e democrático, o que sempre foi uma marca petista.

• Têm plena consciência de que o Partido, como organismo vivo, muda e procura adequar-se ao processo social do País e à conquista de espaços institucionais. Mas, para isso, não pode renegar os princípios que o criaram e o alimentaram na origem.

Saiba mais sobre o fórum, acesse o site: http://www.forumrefpol.net

Veja também

A antirreforma trabalhista: sem direitos e sem emprego | Miguel Rossetto

A nova reforma trabalhista é filha do golpe contra a democracia, a soberania nacional e os direitos do povo. Reduz o valor do trabalho e aumenta a exploração do trabalhador. Interrompe o ciclo virtuoso iniciado em 2003. Quer enfraquecer os sindicatos, acabar com direitos trabalhistas, dificultar o acesso à Justiça.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Comente com o Facebook