Home / Conteúdos / Notícias / História provou que democracia é melhor fonte para esquerda chegar ao poder, diz Lula

História provou que democracia é melhor fonte para esquerda chegar ao poder, diz Lula

918524Do Opera Mundi

“A gente deve entender que evoluímos muito nos últimos anos, mas precisamos avançar 50 ou cem vezes mais na integração. Precisamos trocar mais informações e experiências. Política de integração a gente não faz por telefone, mas sim visitando os países. Integração não é apenas assinar acordo comercial”, complementou.

Pouco depois, Lula lamentou e se disse “preocupado” com o futuro do continente após a morte do venezuelano Hugo Chávez, que, segundo ele, fará muita falta na integração regional. “Espero que o novo presidente Nicolás Maduro cumpra exatamente o papel que Chávez vinha tendo.”

O ex-presidente ainda elogiou o Foro de São Paulo, que classificou como “a melhor coisa que já criamos neste continente latino-americano, e recordou a história da organização.

“Em 1980, a esquerda latino-americana não acreditava que seria possível chegar ao poder pela via da disputa democrática e, sobretudo, pela via eleitoral. Tínhamos esperança na vitória dos revolucionários de El Salvador. Mas a história provou que a democracia exercida pela massa é a melhor fonte para que a esquerda chegue ao poder em qualquer país do mundo. E parte da responsabilidade pela chegada ao poder na América Latina é devido ao Foro de São Paulo.”

Sobre os Estados Unidos, o ex-presidente disse que “eles não brincam em serviço” e que “a Aliança do Pacífico tem o interesse geopolítico de enfraquecer a integração da América do Sul”. “Quando a gente organiza os Brics, faz reunião Mercosul-África, ou com os países árabes, isso começa a incomodar, porque mostra que outros atores estão surgindo. É como aconteceu quando tentei intermediar o acordo nuclear com o Irã. Os Estados Unidos chegaram dizendo: “Lula, não se meta, isso é jogo de gente grande.”

Como costuma fazer em seus discursos, Lula voltou a criticar a grande imprensa. “Não podemos ficar chorando o problema da mídia conservadora, porque ela é conservadora aqui, em El Salvador, no Chile, na Argentina…Não podemos ficar apenas reclamando que nossos adversários usam a mídia contra nós. Agora com a internet, temos, pela primeira vez, a chance de criar instrumentos de comunicação entre nós.”

Apesar de a abertura oficial do Foro de São Paulo ter sido na noite de hoje, o evento acontece na capital paulista desde a última quarta-feira. O encerramento será no domingo (04/08) e contará com a presença do presidente boliviano, Evo Morales.

Veja também

Mulheres negras contra o racismo, a violência e pelo bem viver | Geyse Silva, Ana Carolina Dartora, Moara Saboia, Márcia Fernandes e e Dandara Tonantzin

Militantes da Democracia Socialista relatam participação no Encontro Nacional de Mulheres Negras (ENMN) 30 anos, que aconteceu no último final de semana (6 a 9/12), em Goiânia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Comente com o Facebook