Home / Conteúdos / Notícias / Lirani virou estrela

Lirani virou estrela

É com profundo pesar que registramos o falecimento da companheira Lirani Maria Franco, a Lira, nesta terça, 26 de fevereiro de 2019, após complicações decorrentes de um procedimento cirúrgico realizado no dia anterior.

A professora Lirani era atualmente secretária da Mulher Trabalhadora e dos Direitos LGBTI da APP-Sindicato do Paraná e fazia parte da Direção Nacional da CUT Brasil representando o ramo da educação pública.

A fala mansa e o jeito acolhedor combinavam perfeitamente com uma militante incansável, disciplinada e combativa.

Paranaense, militante e petista Lirani era uma construtora da Vigília Lula Livre. Hoje Lula divulgou uma carta em homenagem a ela:

Aos companheiros que hoje sofrem pela perda da nossa guerreira Lirani, queria estar em liberdade na Vigília especialmente para dar um abraço em todos que nesta terça (26) sofreram com a perda de mais uma guerreira desta frente diária de batalha que rege a nossa luta e resistência. Em um tempo em que os professores e educadores têm papel decisivo na disputa por um país justo a companheira Lirani fará muita falta. Que seu exemplo nos inspire sempre e que seu legado seja símbolo em torno de um Brasil com justiça social. Um abraço, Lula.

Na semana passada Lirani esteve em São Paulo. Participou de atividades da Confederação Nacional dos Trabalhadores/as em Educação (CNTE) e da Assembleia Nacional da Classe Trabalhadora na Praça da Sé.

Foi lá, com a mesma disposição de sempre, que gravou para a CSD – CUT Socialista e Democrática, corrente sindical da qual era militante, essa convocatória para luta contra a Reforma da Previdência que republicamos agora.

Acreditamos que essa é a imagem que devemos guardar da Lira. Da sua vivacidade, garra e disposição para a vida e para a luta.

Lirani, presente!
✪12/02/1963 – †26/02/2019

LIRANI VIROU ESTRELAÉ com profundo pesar que comunicamos o falecimento da companheira Lirani Maria Franco, a Lira, nesta terça, 26 de fevereiro de 2019, após complicações decorrentes de um procedimento cirúrgico realizado no dia anterior.A professora Lirani era atualmente secretária da Mulher Trabalhadora e dos Direitos LGBTI da APP-Sindicato do Paraná e fazia parte da Direção Nacional da CUT Brasil representando o ramo da educação pública.A fala mansa e o jeito acolhedor combinavam perfeitamente com uma militante incansável, disciplinada e combativa. Na semana passada Lirani esteve em São Paulo. Participou de atividades da Confederação Nacional dos Trabalhadores/as em Educação (CNTE) e da Assembleia Nacional da Classe Trabalhadora na Praça da Sé.Foi lá, com a mesma disposição de sempre, que gravou para a CSD essa convocatória para luta contra a Reforma da Previdência que publicamos agora.Acreditamos que essa é a imagem que devemos guardar da Lira. Da sua vivacidade, garra e disposição para a vida e para a luta.Lirani, presente!✪12/02/1963 – †26/02/2019Biografia – A professora Lirani Maria Franco nasceu em Fazenda Rio Grande, no dia 12 de fevereiro de 1963. Era casada, mãe, professora aposentada com mais de 30 anos de carreira e exercia a função de dirigente sindical, compondo a diretoria estadual da APP-Sindicato, à frente da Secretaria da Mulher Trabalhadora e dos Direitos LGBTI.Formou-se em Matemática pela PUC, onde recebeu o prêmio de Mérito Acadêmico pelo melhor desempenho no curso. Fez curso de Ciências Contábeis na FAE, especialização na UFPR e UNICENTRO. Formou-se em Política pelo Núcleo de Educação Popular 13 de Maio. Participou do Programa de Desenvolvimento Educacional do Governo do Estado (PDE/SEED).Deu aulas no Colégio Estadual Jorge Andriguetto, Colégio Estadual Décio Dossi, onde também foi diretora (89-90) e vice-diretora (93), ambos de Mandirituba, no Colégio Estadual Joaquim de Oliveira Franco, em Mandirituba, e no Colégio Estadual do Paraná, em Curitiba.Convencida de que uma educação de qualidade faz a diferença na vida das pessoas e comprometida com a luta em defesa da educação pública gratuita e de qualidade para todos(as), professora Lirani atuou na direção nacional da CNTE, foi dirigente no Núcleo Sindical Curitiba Metropolitana Sul e atuava pela terceira vez na direção estadual da APP-Sindicato.Fora das salas de aula, professora Lirani também deixou grandes exemplos de cidadania e um legado de sua atuação em defesa de uma sociedade justa e fraterna para todos(as). Foi vereadora em Fazenda Rio Grande em dois mandatos (legislaturas 2001/2004 e 2009/2012).No legislativo municipal destacou-se por sua inteligência, força e coragem. Em seu segundo mandato, fez parte da mesa diretora e das comissões de Constituição e Justiça e Educação, Tecnologia e Meio Ambiente.Educadora popular, estava até então titular no Conselho Estadual dos Direitos da Mulher, representando a APP-Sindicato. Feminista, dedicou-se a organização das mulheres, do movimento Marcha Mundial das Mulheres, tendo atuado na na coordenação estadual do movimento.Em sua despedida deste mundo, deixa um esposo, uma filha adolescente e um número incontável de amizades que construiu ao longo de seus breves 56 anos de vida.

Posted by CSD – CUT Socialista e Democrática on Tuesday, February 26, 2019

Biografia – A professora Lirani Maria Franco nasceu em Fazenda Rio Grande, no dia 12 de fevereiro de 1963. Era casada, mãe, professora aposentada com mais de 30 anos de carreira e exercia a função de dirigente sindical, compondo a diretoria estadual da APP-Sindicato, à frente da Secretaria da Mulher Trabalhadora e dos Direitos LGBTI.

Formou-se em Matemática pela PUC, onde recebeu o prêmio de Mérito Acadêmico pelo melhor desempenho no curso. Fez curso de Ciências Contábeis na FAE, especialização na UFPR e UNICENTRO. Formou-se em Política pelo Núcleo de Educação Popular 13 de Maio. Participou do Programa de Desenvolvimento Educacional do Governo do Estado (PDE/SEED).

Deu aulas no Colégio Estadual Jorge Andriguetto, Colégio Estadual Décio Dossi, onde também foi diretora (89-90) e vice-diretora (93), ambos de Mandirituba, no Colégio Estadual Joaquim de Oliveira Franco, em Mandirituba, e no Colégio Estadual do Paraná, em Curitiba.

Convencida de que uma educação de qualidade faz a diferença na vida das pessoas e comprometida com a luta em defesa da educação pública gratuita e de qualidade para todos(as), professora Lirani atuou na direção nacional da CNTE, foi dirigente no Núcleo Sindical Curitiba Metropolitana Sul e atuava pela terceira vez na direção estadual da APP-Sindicato.

Fora das salas de aula, professora Lirani também deixou grandes exemplos de cidadania e um legado de sua atuação em defesa de uma sociedade justa e fraterna para todos(as). Foi vereadora em Fazenda Rio Grande em dois mandatos (legislaturas 2001/2004 e 2009/2012).

No legislativo municipal destacou-se por sua inteligência, força e coragem. Em seu segundo mandato, fez parte da mesa diretora e das comissões de Constituição e Justiça e Educação, Tecnologia e Meio Ambiente.

Educadora popular, estava até então titular no Conselho Estadual dos Direitos da Mulher, representando a APP-Sindicato. Feminista, dedicou-se a organização das mulheres, do movimento Marcha Mundial das Mulheres, tendo atuado na na coordenação estadual do movimento.

Em sua despedida deste mundo, deixa um esposo, uma filha adolescente e um número incontável de amizades que construiu ao longo de seus breves 56 anos de vida.

Veja também

#15M: Greve nacional da educação deverá ser a maior de todos os tempos

Para dirigentes sindicais do ramo da educação a mobilização extrapolou as categorias e contagiou estudantes e toda a sociedade. Essa ampla unidade em defesa da educação fortalece a luta dos trabalhadores em defesa dos seus direitos ameaçados pela Reforma da Previdência.

Comente com o Facebook