Home / Conteúdos / Artigos / Mulheres do PT realizam seu 10º Encontro Nacional

Mulheres do PT realizam seu 10º Encontro Nacional

O 10º Encontro Nacional das Mulheres do PT foi o maior encontro setorial realizado no ano, tendo reunido 255 delegadas de quase todos os estados do país. Realizado nos dias 17 e 18 de maio em Brasília, o Encontro elegeu a nova secretária e o novo coletivo nacional de mulheres do PT.

Três teses com suas respectivas candidatas disputaram o Encontro, e as diferenças políticas entre elas eram visíveis. As mulheres do campo Construindo um Novo Brasil (CNB) sofreram o desfalque do setor organizado por Suely de Oliveira e o grupo “Expressão Feminista” da Bahia, mais identificadas com a AMB (Articulação de Mulheres Brasileiras), que formaram sua própria chapa e apresentaram tese separadamente das antigas aliadas do CNB.

A chapa da esquerda petista foi encabeçada por Angélica Fernandes e trazia um discurso organizado por um feminismo socialista no PT, com críticas contundentes à interdição do debate e à paralisia que caracterizaram os 10 anos de gestão CNB à frente da Secretaria Nacional de Mulheres. A tese propunha um reencontro do PT com as lutas feministas e conseguiu emplacar emendas importantes, como a que afirma que o feminismo socialista “não dissocia a luta pela superação da opressão sexual da necessidade de profundas mudanças sociais e da ruptura com as brutais desigualdades de classe e étnico-raciais”.

A chapa da esquerda foi essencial na construção de resoluções consensuais do Encontro, como a defesa contundente da legalização do aborto e a solidariedade às mulheres do Mato Grosso do Sul que estão sendo indiciadas por recorrerem ao aborto. A resolução do Encontro de Mulheres encaminha à direção do partido o pedido de comissão de ética para os parlamentares petistas que contrariam a resolução partidária que defende a descriminalização do aborto e sua regulamentação no SUS, conforme aprovado por ampla maioria no 3º Congresso do partido.

O discurso sectário da atual maioria permaneceu em voga. Sem responder às críticas à paralisia a que a Secretaria Nacional de Mulheres do PT-SNMPT foi submetida nestes 10 anos, a campanha da nova secretária, Laisy Morière, buscou se afirmar na identidade geral do ex-campo majoritário.

Laisy Morière foi eleita secretária nacional, e sua chapa elegeu 5 integrantes do novo coletivo. A chapa da esquerda petista, “Reconstruir o Feminismo no PT”, ficou com 4; a outra chapa ficou com uma companheira no coletivo.

Veja também

Carta ao povo brasileiro

Em texto enviado neste domingo (13) movimento reafirma convicção na inocência de Lula defende seu direito de concorrer às eleições presidenciais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Comente com o Facebook