Home / Conteúdos / Artigos / Nova direção deve recuperar programa histórico do PT

Nova direção deve recuperar programa histórico do PT

A nova direção do Partido dos Trabalhadores, que será eleita no próximo mês de dezembro, deve buscar a recuperação dos compromissos históricos do PT e reaproximá-lo dos movimentos sociais. A avaliação é do deputado federal Dr. Rosinha (PT-PR).

Integrante da corrente interna Democracia Socialista (DS), Dr. Rosinha apóia a candidatura do também deputado federal José Eduardo Cardozo (PT-SP) à presidência nacional do partido. A DS é uma das correntes que integra o grupo denominado “Mensagem ao Partido”.

“Em todos os níveis de direção, as chapas e candidatos da ‘Mensagem’ defendem a recuperação do programa histórico do PT”, resume Dr. Rosinha. “Ainda enxergamos o partido como um instrumento fundamental para a redução das desigualdades sociais e para a transformação da sociedade brasileira.”

O primeiro turno do chamado PED (Processo de Eleições Diretas) acontece no dia 2 de dezembro. O segundo turno, no dia 16 do mesmo mês.

O regulamento prevê que pelo menos 30% dos integrantes das direções do PT sejam mulheres. Para votar, é preciso ser filiado há pelo menos um ano e estar em dia com as finanças partidárias.

Até o fim de novembro, serão realizados debates entre os candidatos à presidência nacional em dez capitais, inclusive em Curitiba..

Plataforma

Uma versão preliminar da tese a ser defendida pelo grupo da Mensagem ao Partido defende a necessidade de uma ampla reforma política, elaborada por uma constituinte exclusiva para tal fim. Entre as medidas defendidas está a revisão do financiamento privado das campanhas eleitorais.

“A financeirização do sistema político é um obstáculo poderoso à revolução democrática que defendemos”, diz trecho do texto. “Lutaremos para que, já em 2008, sejam coibidas as doações para campanhas por parte das empresas e das grandes fortunas.”

O documento lembra que a nova direção do PT será responsável por elaborar e implantar o Código de Ética interno, conforme deliberação do 3º congresso do partido. “É necessário que esse código seja um instrumento forte, que permita diferençar o PT dos partidos tradicionais. […]Vamos resgatar a imagem ética do PT na sociedade, combatendo internamente o clientelismo, o abuso do poder econômico e do poder político.”

O texto trata inclusive do caso Renan Calheiros (PMDB-AL). “Não apenas o senador acusado, mas o próprio Senado passa agora a ser julgado publicamente de forma negativa, o que pode enfraquecer as convicções democráticas do povo”, diz o documento. “Os senadores petistas que se abstiveram ou votaram pela absolvição de Renan, assim como o silêncio da direção, desgastaram o PT.”

O documento reafirma a defesa da redução do mandato dos senadores para quatro anos, além da eleição de suplentes e do fim da atribuição do Senado de câmara revisora.

Regulamento das eleições internas do PT:
http://www.pt.org.br/sitept/index_files/noticias_int.php?codigo=3632

Uma nova direção para mudar o PT (anteprojeto de plataforma):
http://www.mensagemaopartido.org.br/conteudos/exibe/79

Veja também

Eleições democráticas na Venezuela | Marcelo Uchôa

Com perplexidade o mundo vem assistindo a uma profunda transformação na geopolítica da América Latina …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Comente com o Facebook