Home / Conteúdos / Artigos / O que aconteceu neste ano

O que aconteceu neste ano

Território Nacional. Em pelo menos 13 estados as mulheres saíram às ruas.

Em seu dia internacional de luta, movimentos de mulheres promoveram atividades em todo o país.

Em Santarém (PA), as mulheres conseguiram audiência com o prefeito para solicitar a homologação do projeto de lei que cria o Conselho do Direito da Mulher.

Em São Luís (MA), ocorreu a abertura do programa Conquista Feminina, pela Rádio Conquista (comunitária), produzido pelo grupo de mulheres negras “Mãe Andrezza”.

No Rio de Janeiro (RJ), quase 2 mil pessoas foram ao centro da cidade para as manifestações. Diferentes movimentos sociais, organizações populares e até representantes da Palestina estenderam faixas, distribuíram panfletos e engrossaram a marcha contra a opressão de gênero.

Em Fortaleza (CE), a Praça do Ferreira recebeu durante todo o dia o acampamento das mulheres do MST, com apresentação teatral e passeata pelo centro e ato político.

Em Aracaju (SE), foi realizada uma marcha pela manhã, que terminou no centro da cidade. Em seguida, foi entregue pauta de reivindicações ao Incra, INSS e Secretaria de Saúde do Estado.

O aumento do Salário Mínimo foi um dos principais temas da manifestação da Marcha Mundial das Mulheres em Mossoró (RN). Houve uma grande passeata pelas ruas da cidade por trabalho, salário digno e contra a violência.

Em São Paulo (SP), a passeata no centro reuniu pelo menos cinco mil mulheres. O ato realizado teve como lema “Não à exploração do nosso trabalho, do nosso corpo, da nossa vida”. Ao final, já na Praça da Sé, foi iniciado o acampamento das mulheres trabalhadoras sem terra.

Em vários outros estados, como Minas Gerais, Rio Grande do Sul e Amazonas, também aconteceram atividades. Manifestando ou comemorando, as brasileiras se fizeram presentes.

Veja também

“Os jovens entram no mercado de trabalho desempregados”, aponta sociólogo Anderson Campos em seminário da CUT-RS

A difícil realidade dos jovens no mercado de trabalho foi o assunto do seminário “Juventude …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Comente com o Facebook