Home / Conteúdos / Notícias / Para ministros, programa de Temer pode prejudicar ‘gerações inteiras’

Para ministros, programa de Temer pode prejudicar ‘gerações inteiras’

2684216Tereza Campello (MDS) e Miguel Rossetto (Trabalho e Previdência) avaliam intenções divulgadas até agora como sinais de “retrocesso e redução de conquistas sociais e trabalhistas”

Rede Brasil Atual – Dois ministros da área social afirmaram hoje (4) que um eventual governo de Michel Temer, vice-presidente de Dilma Rousseff, causaria perda de direitos sociais. Para Tereza Campello (Desenvolvimento Social e Combate à Fome), se Temer reduzir o programa Bolsa Família para os 5% mais pobres da população, vai tirar o programa de 36 milhões de pessoas. Já o titular do Trabalho e Previdência Social, Miguel Rossetto, disse que o programa divulgado pelo vice até agora “vai contra conquistas sociais e trabalhistas e jamais passaria pelo crivo de eleições”.

As declarações da ministra foram feitas durante conversa com blogueiros nesta amanhã. Rossetto fez as afirmações durante evento no Rio de Janeiro. A ministra, ao detalhar o programa Bolsa Família, destacou que os possíveis retrocessos sociais em relação ao plano hoje em andamento podem acarretar “prejuízos por gerações inteiras”. “O nível de preconceito, de agressão, contra a população mais pobre no Brasil está perigoso”, acrescentou.

Tereza acredita que a maior parte das famílias brasileiras não sabe quais são os riscos para o país de um corte no programa, que segundo ela levou a uma redução de 40% na desigualdade escolar na última década. De acordo com a ministra, enquanto em 2001 apenas 32% do total de alunos terminavam o ensino fundamental na idade certa, em 2012 esse percentual passou a ser de 58%.

Proteção social

“Em um momento de crise, temos de investir na população. Precisamos parar de pensar em proteção social como um problema e pensar como solução. O Bolsa Família é o Prouni das crianças. É a bolsa para que as famílias mantenham as crianças na escola e o acompanhamento médico”, afirmou Tereza.

Rossetto declarou que Temer se transformou em “impostor”, ao “rasgar seus compromissos institucionais e fazer a opção pela ilegalidade”. O ministro disse que a avaliação feita até agora do programa anunciado pelo vice-presidente é de que possui ações de caráter “claramente destruidor de conquistas sociais e trabalhistas”. “É bem isso que parte das elites econômicas e políticas reacionárias deste país promove o golpe. Essa proposta de país que ele representa jamais será eleita pelo povo brasileiro no ambiente democrático, por isso tem de ser combatido.”

Veja também

“Os jovens entram no mercado de trabalho desempregados”, aponta sociólogo Anderson Campos em seminário da CUT-RS

A difícil realidade dos jovens no mercado de trabalho foi o assunto do seminário “Juventude …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Comente com o Facebook