Home / Conteúdos / Artigos / Reconstruir o PT com nossa base e nossa história

Reconstruir o PT com nossa base e nossa história

Elei›es Presidenciais, 2002: bandeira do PT no com’cio do presidenci‡vel Luiz In‡cio Lula da Silva na Esplanada dos MinistŽrios, em Bras’lia (DF). (Bras’lia, DF, 28.09.2002. 16h30. Foto: Lula Marques / Folha Imagem)
Elei›es Presidenciais, 2002: bandeira do PT no com’cio do presidenci‡vel Luiz In‡cio Lula da Silva na Esplanada dos MinistŽrios, em Bras’lia (DF). (Bras’lia, DF, 28.09.2002. 16h30. Foto: Lula Marques / Folha Imagem)

A Comissão Executiva Nacional do PT esteve reunida hoje, dia 19 de julho, em São Paulo. A instância aprovou uma Nota que está disponível no Portal do PT.

A DS e outras tendências partidárias divulgaram nota pública com as suas posições comuns que está disponível a seguir

Sobre a crise que se abate sobre o Partido dos Trabalhadores e a recente versão divulgada pelo ex-tesoureiro nacional do PT, Delúbio Soares, temos as seguintes posições públicas comuns:

 

1. Quem traiu a confiança do PT não pode permanecer no PT. Os fatos vêm demonstrando que alguns dirigentes partidários, no exercício de funções delegadas pelo Partido, traíram a confiança de milhares de filiados e militantes do PT. Em nenhum momento nenhuma instância autorizou, por exemplo, Delúbio Soares a agir da forma que revelou ao País em entrevista concedida à TV Globo no dia 17 de julho. Em nenhum momento ele revelou, à instância da qual fazia parte, os negócios que agora diz serem de conhecimento da direção nacional do PT. Delúbio Soares feriu gravemente o Partido dos Trabalhadores. Deve responder à sociedade e deve responder à militância partidária. Nos termos do Estatuto partidário encaminhamos à direção nacional a proposta de suspensão imediata da sua filiação ao PT.

2. O PT precisa de uma nova direção. O PT não pode ser mais dirigido por um grupo responsável por uma linha política que levou à crise atual e por um método de condução que omite das instâncias partidárias negócios feitos em nome do Partido, mas que do Partido são escondidos. Por um grupo que asfixia a democracia partidária, substituindo as instâncias por suas reuniões de grupo. Um grupo que levou o Partido à pior crise de sua história. O PT precisa de uma nova direção. O partido tem urgência em ter uma direção legítima e somente o PED pode produzi-la. Por isso, devemos iniciar, imediatamente, os debates do PED.

3. Vale a pena lutar pelo PT. O PT é o produto de mais de vinte anos de luta do povo brasileiro. O PT tem a cara de sua militância e de sua história. Uma história que nos orgulha naquilo que tem de ética, democrática e igualitária. É na fonte desta história e desta militância vigorosa que o PT deve beber para reconstruir seu futuro. Não desistiremos da esperança. Faremos deste PED um instrumento da reconstrução partidária, que restabeleça a autonomia do Partido frente aos governos, que retome sua relação com os movimentos sociais e que abra um processo de discussão de um novo código de ética do PT, que discipline a sua participação em campanhas eleitorais e redefina as suas normas de escolha de candidatos, de financiamento de campanhas e de eleições internas. Uma reconstrução de valores, confiança e identidade. Só assim seremos capazes de novamente merecer ser portadores da esperança e da confiança do povo brasileiro.

São Paulo, 19 de julho de 2005.

Joaquim Soriano
José dos Reis Garcia
Marlene da Rocha
Valter Pomar
Dep. Fed. Tarcisio Zimmermann

Veja também

Pelo bem da humanidade e do planeta, a esquerda precisa ganhar o debate

*Por Margarida Salomão É lugar comum dizer que a o Muro de Berlim caiu na …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Comente com o Facebook