Home / Conteúdos / Artigos / Rede Brasileira de Ecossocialistas e Juventude: Conjuntura e perspectivas

Rede Brasileira de Ecossocialistas e Juventude: Conjuntura e perspectivas

A Rede Ecossocialista esta organizada em 10 estados do Brasil e agrega militantes de várias faixas etárias, etnias, gêneros e organizações diferentes, mas o que a diferencia de outras redes e organizações é a concepção de mundo, a forma de se organizar e a luta que trava.

GABRIELA BATISTA

A Ecologia nesse espaço não é vista somente como as questões ligadas a preservação, ou a conservação de espécies ou biomas, mas sim como uma nova forma de organizar a luta política contra o capital ,  o questionamento das relações entre homens e mulheres e suas relações com outros seres que habitam o planeta, bem como, a utilização insustentável dos recursos naturais.

Os Ecossocialistas  combatem tanto exploração clássica do homem pelo homem como também a exploração da natureza pelo homem. Assim, pregam que a luta ecológica é parte integrante da luta de classes.

Na atual conjuntura, marcada pela crise civilizatória, como bem demonstra o aquecimento global da terra, não se pode separar a luta ambiental da luta pela mudança do atual sistema de produção e consumo de mercadorias. Rosa luxemburgo já nos ensinava: Socialismo ou Barbárie.  A Rede Ecossocialista tem clareza que esse socialismo só pode ser  construido através das lutas pela igualdade e justiça social: através da participação e auto- organização dos trabalhadores e trabalhadoras, do respeito ao meio ambiente e a utilização de tecnológias limpas; do combate à todas as formas de discriminação seja, de cor, de credo, de raça, de gênero e de orientação sexual. Da luta altermundialista presente no Forum Social Mundial.

Os Ecossocialistas declaram o seu combate permanente ao capitalismo, mas também as tiranias burocráticas do chamado “socialismo real”. O Ecossocialismo é a junção das mais caras e generosas lutas dos socialistas do mundo inteiro, tendo a frente o legado de Marx, Engels, Lenin, Rosa Luxemburgo, Trotsk, entre outros, com as lutas contemporâneas contra a destruição da natureza, a guerra total e a detruição da vida no planeta.

Os Ecossocialistas manifestam-se ao mundo através da Carta de Princípios Ecossocialistas e do Manifesto Internacional pelo Ecossocialismo.

A juventude combativa, rebelde, que não aceita ser explorada, oprimida e alienada pelo capital tem um papel estratégico na luta pelo ecossocialismo. Os jovens não podem aceitar o futuro trágico que nos prepara o grande capital. Eles e as futuras gerações não podem se conformar com a perda da biodiversidade, com a diminuição da água potável, com o aumento da poluição industrial, com a contaminação transgênica e com um mundo cinza, sem beleza e sem sutileza, produto da crise ambiental planetária, cujo o exemplo cabal são as mudanças climáticas que já estão ocorrendo.

É hora da juventude encarar de frente a luta ambiental. Nessa perspectiva conclamamos os militantes de juventude a se somarem à Rede Brasileira de Ecossocialistas e construirem essa nova e real utopia de que um outro mundo sustentável é possível.

Gabriela Barbosa Batista é integrante da Juventude Terrazul e do Coletivo de Joven pelo Meio Ambiente do Ceará é também Coordenadora Nacional da Rede Brasileira de Ecossocialistas.

 

Veja também

Lula: Quero andar pelo País para mexer com consciência do povo

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva começou, nesta quinta-feira (17), na Bahia, a jornada que fará pelo Nordeste do Brasil. Em Salvador, ele deu início ao projeto Lula pelo Brasil, que percorrerá 25 cidades, em 20 dias. Segundo o presidente de honra do PT, a caravana terá como objetivo “mexer com a consciência do povo brasileiro”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Comente com o Facebook