Home / Conteúdos / Artigos / Serra: O governo do cassetete e das bombas

Serra: O governo do cassetete e das bombas

O atual governador José Serra está dando continuidade a política de mais de uma década do PSDB/ PFL (DEM), cassetete e bombas para os movimentos sociais.

O que tem chamado a atenção no atual governo é o conjunto de repressões que tem ocorrido em tão pouco tempo, isto combinado a uma centralização das decisões no executivo, como no caso do ataque a autonomia universitária. Isto sem falar, na demissão de 4 sindicalistas, trabalhadores do Metrô, por causa de uma greve realizada em conjunto com os ônibus, contra a Emenda 3, que tanto Serra e seus amigos da FIESP e da Globo são a favor.

Já no inicio de seu governo seus primeiros alvos foram os movimentos de moradia, que de forma sistemática estão sendo reprimidos pela PM. Na região central foram inúmeras repressões, apenas no inicio desse ano. A ocupação João Cândido de Itapecerica da Serra, em manifestação rumo ao Palácio dos Bandeirantes, foi reprimida antes de chegar pela Polícia Militar.

No dia 8 de março, na Av. Paulista, a manifestação pelo Dia Internacional da Mulher e pelo Fora Bush foi duramente reprimida pela PM. O ato assistiu um festival de agressões às mulheres realizadas pela PM com suas bombas de gás e seus cassetetes, deixando gravemente ferida uma militante trabalhadora da SABESP.

Agora, o que mais chamou a atenção foi a truculência da PM nesta última semana que conseguiu bater todos os recordes.

As ações da PM:

Repressão à manifestação de moradores do “Cingapura” – A manifestação denunciava a violência policial no interior do condomínio, onde os moradores acusavam os policiais de chegar dando tapa na cara de moradores e invadindo apartamentos. Nesta manifestação a polícia novamente utilizou do terror invadindo novamente o condomínio, onde passavam mulheres com crianças, atacando bombas e acertando os moradores com cassetetes;

Manifestação contra o Genocídio da Juventude Negra: No dia 05 de maio em São Bernardo do Campo, a juventude negra, que se organiza em torno do ENJUNE, fazia uma manifestação. Durante o ato a PM novamente chegou com truculência atacando bombas e distribuindo cassetetes, tendo levado diversos militantes para a cadeia, mostrando claramente que movimento na rua é caso de polícia.

Repressão na Virada Cultural: Durante a apresentação do Grupo de RAP Racionais MC´s que contava com a presença do Senador Suplicy (PT/SP), durante a Virada Cultural, a PM mostrando novamente seu despreparo. A Força Tática entrou em ação, atirando balas de borracha, bombas de efeito moral e dando com o cassete na juventude presente, enquanto o show acontecia. Segundo Suplicy: “Nunca tinha visto a praça da Sé tão cheia. Mas, olha, os PMs estavam mais nervosos que o público e usaram mais força do que necessário.”. Esta ação espalhou o terror pelos outros palcos da Virada Cultural que ocorriam na região central. Na Folha on-ine a manchete é: Virada Cultural se transforma em campo de batalha no centro de SP.
Neste momento, que as lutas sociais estão se ampliando em São Paulo contra os governos de Serra/ Kassab é necessário uma grande unidade de todos os movimentos e organizações de esquerda para dizer NÃO a violência policial, bem como exigir a libertação dos presos políticos e denunciar o governo de bombas e cassetetes de José Serra.

Leonardo Pinho, Secretário Municipal da Juventude do PT/SP

Veja também

“Os jovens entram no mercado de trabalho desempregados”, aponta sociólogo Anderson Campos em seminário da CUT-RS

A difícil realidade dos jovens no mercado de trabalho foi o assunto do seminário “Juventude …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Comente com o Facebook