Home / Temas / Brasil / Temer é derrotado e governo revogará extinção da Renca

Temer é derrotado e governo revogará extinção da Renca

“A revogação do decreto é uma grande vitória dos movimentos sociais”, afirma dirigente Cutista

Após resistência de ambientalistas, o governo federal deve anunciar, ainda nesta segunda-feira (25), a revogação do decreto que extinguia a Reserva Nacional do Cobre e Associados (Renca).

O anúncio deve ser feito pelo ministro de Minas e Energia, Fernando Coelho Filho, que convocou uma entrevista coletivo para o final da tarde. Dessa forma, fica mantido o decreto que criou a reserva, em 1984.

“A revogação do decreto é uma grande vitória dos movimentos sociais, do campo, povos e comunidades tradicionais e organizações ambientalistas, que denunciaram desde primeiro dia os impactos da extinção da reserva e que gerou a rejeição da sociedade”, comemora Daniel Gaio, secretário nacional de Meio Ambiente da CUT.

De acordo com o dirigente, “o decreto da Renca é só a ponta do iceberg sobre os desmontes na área ambiental, seu anúncio foi decisivo para mostrar à sociedade o que o governo pensa sobre esse tema. Continuaremos na luta pelos nossos direitos, o território brasileiro e a soberania nacional.”

Desde que anunciou, arbitrariamente, a extinção da Renca, no último dia 23 de agosto, o presidente ilegítimo Michel Temer se tornou algo de manifestações contrárias em todo o mundo.

Por trás da medida, estava o óbvio interesse comercial. Temer estava disposto a liberar a área para a iniciativa explorar a diversidade de minérios na região, como ouro, ferro, manganês e tântalo.

Com informações de cut.org.br

Veja também

As eleições de 2018 e os desafios da esquerda | Raul Pont

"Não há mais condições de rompermos a crise do sistema eleitoral e partidário sem apontarmos para a sociedade a formação de um bloco sólido, plural, mas unificado em torno de um programa comum que a população se identifique. A eleição precisa ter o caráter pedagógico da identidade com um programa, um projeto de longo prazo, animado por uma Frente política ampla mas com uma coerência programática e objetivos comuns", defende Raul Pont.

Comente com o Facebook