Home / Conteúdos / Artigos / Temos o desafio de continuar a luta do companheiro Adão Pretto

Temos o desafio de continuar a luta do companheiro Adão Pretto

Foi com tristeza que recebemos a notícia da morte do companheiro e deputado federal Adão Pretto, na manhã desta quinta-feira (5). Convivi com ele na primeira bancada do PT na Assembléia Legislativa, entre 1987 e 1991, e tivemos a honra de juntos participar da Assembléia Constituinte e da elaboração da Constituição Estadual.

A trajetória política de Adão Pretto se reflete neste momento de adeus, oportunidade em que reúne políticos de diversas agremiações e lutadores do campo e da cidade. Atualmente, ele cumpria seu quinto mandato parlamentar na Câmara Federal.  Adão iniciou sua vida política como presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Miraguaí, foi um dos fundadores do Movimento dos Sem-Terra, participou da coordenação da CUT/RS e foi um dos protagonistas na luta pela posse da terra simbolizada na ocupação da Fazenda Anonni, em 1986.

Ao chegar ao Legislativo Estadual, onde está sendo velado, o corpo do companheiro foi recepcionado com a canção ‘O Colono’, de autoria de Teixeirinha – uma das suas preferidas e executada por três músicos, que estiveram juntos em toda sua trajetória política. O sepultamento será às 10h desta sexta-feira (6), no Cemitério Jardim da Paz, em Porto Alegre.

Na Assembléia Legislativa, Adão Pretto foi agraciado com o prêmio Springer, em 1987. Os petistas estão enlutados com a perda deste companheiro, que não mediu esforços na defesa dos excluídos, dos sem-terra, da agricultura familiar e sempre acreditou que um outro mundo é possível. No mandato, na Constituinte Estadual esteve sempre na vanguarda da luta pelo seguro agrícola, pela reforma agrária, na organização dos acampamentos e assentamentos. Agora temos o desafio de continuar a luta deste grande companheiro.

Raul Pont é Deputado Estadual pelo PT-RS, membro do Diretório Nacional do PT e da Coordenação Nacional da Democracia Socialista.

 

Veja também

Democracia Socialista: Distritão, não!

Mantemo-nos em alerta, na denúncia pública, na resistência no parlamento e nas ruas, lutando contra o Distritão, contra a agenda do golpismo e por uma verdadeira reforma política, focada no protagonismo popular e no resgate da construção partidária.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Comente com o Facebook