Home / Conteúdos / Artigos / Che | Pedro Tierra

Che | Pedro Tierra

“Os rios do continente percorrem tuas veias

e as minhas, a caminho de Santa Clara.

Que “el Gran Caimán” te recolha,

em nome de todos nós.

Os rios do continente visitam os olhos

da terceira geração tocada

pela tirania de tua luz: “Che”.

Tuas mãos deixaram o fuzil

e a palavra.

Há o tempo dos fuzis

e o tempo da palavra.

A palavra se faz verso,

aço

e ternura.

Por isso a palavra vaza o tempo,

sempre visitará a boca dos insubmissos.

neste tempo de desertos, “Che”,

cabe aos poetas a temerária

tarefa das ressurreições.”

Para não esquecer o 8 de outubro. Brasília, 2020.

Pedro Tierra

  • parte do poema “Ressurreição”. Publicado no livro “Dies Irae”. Goiânia, edição do autor. Dies Irae em latim é “O dia da ira”

Veja também

Resistimos para viver, marchamos para transformar | Nalu Faria

Na semana de 12 a 17 de outubro, a Marcha Mundial das Mulheres encerrou sua 5ª …

Comente com o Facebook