Home / Temas / Brasil / Datafolha não divulgou que maioria quer novas eleições

Datafolha não divulgou que maioria quer novas eleições

2705740Para derrotar o golpe, o Fora Temer não pode nos conduzir à volta da mesma Dilma que foi afastada temporariamente no dia 12 de maio da presidência da República.  Para voltar, a presidenta tem que retornar com um programa que responda os anseios que o povo tem.

Não aceitamos que seja uma manobra parlamentar-midiática com corporações do Estado que defina quem vai ocupar a presidência da república. Tem que ser o povo no exercício da democracia.

É necessário que a presidenta volte com a iniciativa de convocar um plebiscito para que o povo decida por uma nova eleição que defina quem deve governar o país.

A proposta do plebiscito em mãos da presidenta estende pontes com setores na sociedade e no parlamento que são contra o golpe, mas que consideram que apenas voltar atrás não resolveria a crise. Mas nós não confiamos nas negociações de bastidores no Congresso. Nem nos parece o mais importante.

O fundamental é reatar a luta da esquerda com a defesa da democracia e dos direitos do povo. A grande mídia monopolizada, participante ativa do golpe, tenta esconder que existe uma opinião popular favorável à ideia de que o povo é quem deve decidir.

O site Brasil 247 publicou os números reais da pesquisa Datafolha, corrigindo o erro deliberado cometido pela Folha de S. Paulo no último domingo, quando o jornal divulgou que 50% dos brasileiros acreditam que o melhor para o País seria a permanência de Michel Temer na presidência da República até 2018. A Folha excluiu do universo de sua amostragem os 62% dos brasileiros que preferem novas eleições. Fez uma pesquisa com os 38% contrários a uma nova disputa eleitoral. Se 50% destes preferem que Temer continue, eles representam 19% do total – o que significa dizer que a esmagadora maioria dos brasileiros (81%) defende uma outra saída para a crise política; os 19% de Temer são coerentes com os 14% que consideram sua administração ótima ou boa, mais 5% que preferem deixar tudo como está.

 

Confira os dados publicados pelo 247: http://goo.gl/cuV9HX

Veja também

Ser professor no Brasil hoje | Margarida Salomão

A palavra de Paulo Freire, patrono da educação brasileira, continua a nos impelir para a utopia de uma educação libertadora.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Comente com o Facebook