Home / Temas / Brasil / Exigimos prisão do assassino e a garantia do direito democrático ao voto e a manifestação

Exigimos prisão do assassino e a garantia do direito democrático ao voto e a manifestação

É com profunda indignação e pesar que informamos o assassinato de Charlione Lessa Albuquerque, de 23 anos, filho de Maria Regina Lessa – tesoureira do Sindicato dos Sapateiros do Ceará, Secretária da Mulher Trabalhadora da Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo do Vestuário da CUT-CNTRV, militante da Democracia Socialista e da CUT Socialista e Democrática, ocorrido no início da noite deste sábado, 27 de outubro, na cidade de Pacajus, no estado do Ceará, durante um carreata em apoio a Fernando Haddad, candidato do PT, à presidência da República.

O jovem que trabalhava como servente de pedreiro, participava ao lado de sua mãe da carreata que seguia em clima pacífico e descontraído, como tem sido nossa campanha. Segundo testemunhos, um seguidor de Jair Bolsonaro (PSL) desembarcou de um carro e disparou vários tiros contra a manisfestação. Após os disparos o assassino bradou orgulhosamente o nome de Bolsonaro.

A Democracia Socialista, corrente interna do Partido dos Trabalhadores, solidariza-se com sua militante Regina Lessa e exige das autoridades do Ceará e do Brasil a rápida prisão do assassino e demais participantes do crime e também exige explicações de Jair Bolsonaro, candidato do PSL à presidência da República, cujo os seguidores agem diariamente com extrema violência, impulsionados pelo seu discurso de ódio e intolerância contra todos que tem uma opinão divergente a sua.

Na oportunidade expressamos, nesse momento de dor profunda e perda, total solidariedade da militância da Democracia Socialista e CUT Socialista Democrática com nossa querida companheira Regina Lessa.

Seguimos combatendo o fascismo, o ódio, a intolerância e o autoritarismo com as armas da democracia. O Brasil não é fascista e não podemos permitir que uma disputa eleitoral, impulsionada pelo ódio e intolerância – como o propagado por Jair Bolsonaro, transforme nosso país em um campo de guerra.

FASCISTAS NÃO PASSARÃO.

JUSTIÇA JÁ.

CHARLIONE, PRESENTE!

São Paulo, 27 de Outubro de 2018.

Democracia Socialista

Veja também

O que fazer? Construir e defender nosso modelo de relações de trabalho | Antônio Vicente e Miguel Rossetto

Entre as iniciativas do governo, o fim da política de valorização do salário mínimo, a apresentação da MP 881, convertida na chamada Lei da Liberdade Econômica e a MP 905, de novembro de 2019, anunciada cinicamente como um programa de emprego “verde e amarelo”, são em realidade textos de destruição de direitos trabalhistas, de limitação na fiscalização do trabalho e restrições as atividades do MPT.

Comente com o Facebook