Home / Conteúdos / Artigos / Jornal “Em Tempo” recebe homenagem em Fortaleza

Jornal “Em Tempo” recebe homenagem em Fortaleza

A Câmara Municipal de Fortaleza realizou, na tarde da última sexta-feira, 14 de agosto, uma sessão solene em comemoração aos 30 anos de fundação do jornal “Em Tempo”.

“Uma homenagem inédita”, evidenciou um dos idealizadores do jornal, o deputado estadual Raul Pont (PT/RS). A solenidade foi presidida pelo líder do PT na Casa, vereador Ronivaldo Maia, autor do requerimento que propôs a comenda.

Fundado nos anos 70, o Jornal “Em Tempo” é filho das primeiras experiências da imprensa alternativa brasileira, e tinha como objetivo ser um jornal nacional de referência para os setores de esquerda que haviam sobrevivido ao regime militar. O vereador Ronivaldo Maia (PT) ressaltou o papel do jornal na imprensa nacional e a mudança com que ele contribuiu no nosso país. “O Jornal ‘Em Tempo’ representou a luta para a construção de uma imprensa que divulgasse os valores e as lutas do povo brasileiro”, enfatizou o parlamentar.

Ao agradecer a homenagem, Raul Pont salientou o período político vivenciado na década de 70 no Brasil. Segundo ele, o “Em Tempo”, encabeçado por uma frente jornalística, nasceu como uma forma de expressão dos trabalhadores. O deputado destacou ainda os ganhos do periódico na adesão às lutas do Partidos dos Trabalhadores, na instituição da “Democracia Socialista”. De acordo com Raul, o PT soube incorporar as necessidades do povo, lutando pela melhoria na qualidade de vida, e o resultado desse empenho foi a conquista da presidência do Brasil, por Luís Inácio Lula da Silva, em 2002.

A sessão contou com a presença do deputado estadual Artur Bruno (PT/CE), do presidente do PT Fortaleza, Raimundo Ângelo, do secretário-geral do PT Ceará, Antônio Carlos, do presidente da Habitafor, Roberto Gomes, da coordenadora da Coordenadoria Especial de Políticas para as Mulheres de Fortaleza, Raquel Viana, além de militantes petistas.

(do site do vereador Ronivaldo Maia – www.ronivaldomaia.org.br)

Veja também

A antirreforma trabalhista: sem direitos e sem emprego | Miguel Rossetto

A nova reforma trabalhista é filha do golpe contra a democracia, a soberania nacional e os direitos do povo. Reduz o valor do trabalho e aumenta a exploração do trabalhador. Interrompe o ciclo virtuoso iniciado em 2003. Quer enfraquecer os sindicatos, acabar com direitos trabalhistas, dificultar o acesso à Justiça.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Comente com o Facebook