Home / Conteúdos / Artigos / Nota do PT do Acre e do PT de Rio Branco

Nota do PT do Acre e do PT de Rio Branco

Leia nota do Diretório Estadual do PT do Acre e do Diretório Municipal do PT de Rio Branco acerca da desfiliação da senadora Marina Silva. “Reconhecemos a importância do PT na sua vida política, bem como o seu papel histórico na construção do PT ao longo dos últimos 30 anos e somos gratos por isso. Lamentamos sua saída do partido, mas respeitamos sua decisão”, afirma a nota.

O Partido dos Trabalhadores, por meio da Direção Regional do Acre e da Direção Municipal de Rio Branco, vem a público posicionar-se a respeito da desfiliação da senadora Marina Silva:

Reconhecemos a importância do PT na sua vida política, bem como o seu papel histórico na construção do PT ao longo dos últimos 30 anos e somos gratos por isso.

Lamentamos sua saída do partido, mas respeitamos sua decisão.

Sem dúvida, estamos diante de um dos momentos mais difíceis da história do PT no Acre, mas como diz a própria Marina, continuaremos juntos por caminhos diversos, o que, claramente, reafirma seu compromisso com o projeto de desenvolvimento sustentável em curso no Acre, representado pelo PT e pela Frente Popular.

O PT segue com seus compromissos históricos, levando adiante seu projeto democrático e popular, que dialoga com todas as dimensões da sustentabilidade com justiça social, econômica, cultural, política e ambiental, representado, neste momento, pelas lideranças do Presidente Lula e do Governador Binho Marques.

Acreditamos que tais compromissos serão reafirmados no 4º Congresso do Partido, que definirá o programa a ser apresentado ao povo brasileiro em 2010.

Por fim, diante de sua desfiliação partidária, e em consenso com seu suplente, Sibá Machado, entendemos que o PT não deverá reivindicar o seu mandato.

Rio Branco, 19 de agosto de 2009.

Diretório Regional do PT – Acre
Diretório Municipal do PT – Rio Branco/AC

Veja também

A antirreforma trabalhista: sem direitos e sem emprego | Miguel Rossetto

A nova reforma trabalhista é filha do golpe contra a democracia, a soberania nacional e os direitos do povo. Reduz o valor do trabalho e aumenta a exploração do trabalhador. Interrompe o ciclo virtuoso iniciado em 2003. Quer enfraquecer os sindicatos, acabar com direitos trabalhistas, dificultar o acesso à Justiça.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Comente com o Facebook