Notícias
Home / Conteúdos / Artigos / Quem financia as fake news contra o PT e a esquerda? | Eliane Silveira

Quem financia as fake news contra o PT e a esquerda? | Eliane Silveira

 

Imagem via cloudincome.com

 

Reportagem recente publicada pelo Portal Metrópoles traz à tona a rede de esgotos que financia a disseminação de fake news contra o PT e a esquerda. Fruto do trabalho minucioso de Guilherme Amado, Bruna Lima e Edoardo Ghirotto, a matéria mostra que grandes empresários cogitam até mesmo patrocinar um golpe político no Brasil. Evidência de que não é apenas Bolsonaro que não pretende aceitar o resultado das eleições. A publicação revela que empresários por trás de marcas como Havan, Mormaii, Valeshop, Dalçoquio, fazem parte do grupo de WhatsApp onde são defendidas ações de divulgação de fake news. A tática é tratada como “estratégia de guerra de informação” e envolve até difusão de mensagens homofóbicas e preconceituosas.

O mergulho em grupos bolsonaristas como este dos empresários aponta para a possível fonte de financiamento da enxurrada de fake news que vem tomando conta dos grupos de WhatsApp e das redes sociais desde a pré-campanha eleitoral. O abuso do poder econômico para influenciar o resultado eleitoral não se limita a estes ataques criminosos. Desde o início do ano, outdoors promovendo a imagem de Jair Bolsonaro se espalham por diversas cidades. No Rio Grande do Sul (RS), a Justiça Eleitoral já decretou a remoção desta propaganda irregular em vários  municípios.

Outro episódio recente no RS, foi a instalação de painéis gigantes com mensagens que associam a esquerda ao narcotráfico e outros crimes. A coligação Frente da Esperança (PT, PCdoB, PV, PSOL e Rede) obteve liminar para remoção imediata dos painéis, dando prazo para a agência de publicidade apresentar o contrato. A contratante foi identificada como uma empresária bolsonarista. O curioso é que a micro-empresária, cuja empresa tem capital social declarado no valor de R$ 5 mil, investiu mais de R$ 18 mil para instalação dos painéis. Quem realmente pagou a conta?

A teia de ataques ao PT e ao ex-presidente Lula não conta só com ligações empresariais. Reportagem do Painel Folha de São Paulo revelou que a Igreja Universal usa seu jornal impresso para atacar Lula e o PT. A matéria da Folha traz “prints” de alguns editoriais onde o ex-presidente Lula é associado ao inferno e ao totalitarismo. No editorial de 06/02/2022, a Folha Universal lista “exemplos de governos comunistas e socialistas, inspirados pelas “ideias satânicas de Karl Marx”, que se voltaram contra o Evangelho e passaram a perseguir os cristãos” (FSP, 19/03/2022). A Folha Universal tem uma tiragem semanal de 1,7 milhões de exemplares, distribuídos nos templos e diretamente nas comunidades.

A fórmula de ataques combinados é uma reedição em maior escala da tática usada em 2018, que permitiu a Jair Bolsonaro derrotar a candidatura de Fernando Haddad. Naquele ano, estudos realizados por pesquisadores do Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia em Democracia Digital e pelo grupo de pesquisa em Tecnologias da Comunicação e Política (TCP) na Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) monitoraram 90 grupos em apoio a candidatos presidenciais e constaram a profusão de fake news espalhadas por grupos ligados ao bolsonarismo.

O presidente do TSE, Alexandre Moraes, em declaração a diplomatas de outros países, garantiu que a Justiça Eleitoral Brasileira este ano está preparada para combater as milícias digitais e as organizações que financiam o compartilhamento em massa de fake news. Tal combate precisa ser acelerado para responder na velocidade com que os grupos bolsonaristas vem agindo no WhatsApp e nas redes sociais, onde robôs disparam conteúdos de largo alcance, devido ao financiamento por grupos empresariais, como os citados pelo Portal Metrópoles, e por grupos ligados ao conservadorismo religioso, como é o caso da Igreja Universal revelado pela Folha de São Paulo.

A ação da Justiça Eleitoral precisa chegar, urgentemente, nas fontes de financiamento da propagação das Fake News, sob pena da democracia brasileira pagar, mais uma vez, a conta pela impunidade de tais crimes. Não basta remover páginas, perfis ou multar candidaturas flagradas em tais práticas subterrâneas. Casos como o dos painéis instalados em Porto Alegre não podem acabar em uma simples multa como uma mera infração  de trânsito.. Os crimes contra a democracia brasileira precisam ser punidos de forma exemplar, para que não se repitam a cada quatro anos com a certeza da impunidade.

 

Leia a íntegra da reportagem do Metrópoles aqui: https://www.metropoles.com/colunas/guilherme-amado/empresarios-bolsonaristas-espalham-fake-news-contra-dom-e-bruno-e-atacam-gays-jornalistas-e-tv-globo-leia-zaps

Leia a matéria da Folha de São Paulo sobre a Igreja Universal aqui: https://www1.folha.uol.com.br/colunas/painel/2022/03/igreja-universal-usa-jornal-para-fazer-campanha-contra-lula-e-o-pt.shtml

Leia mais sobre as Fake News em 2018 aqui: https://apublica.org/2018/10/grupos-pro-bolsonaro-no-whatsapp-orquestram-fake-news-e-ataques-pessoais-na-internet-diz-pesquisa/

 

Veja também

Onze pistas falsas sobre o clima | Michael Löwy

Contestação de lugares-comuns que dificultam o combate à mudança climática Encontramos um grande número de …

Comente com o Facebook