Home / Conteúdos / Artigos / Referência petista na Bahia

Referência petista na Bahia

Com crescimento de todos os indicadores sociais e alto índice de aprovação, o município é um dos poucos do Brasil que deve chegar à quarta gestão do PT de forma ininterrupta.

O pequeno município de Pintadas, administrado pelo PT em três gestões consecutivas, deverá chegar à quarta gestão petista com altos índices de aprovação em todas as áreas do governo. Pesquisa realizada pelo Instituto Campus, registrado sob o processo de registro nº 339/2008, já dão como certa a vitória do prefeito Valcyr Rios (PT), candidato à reeleição, com ampla margem de folga contra a oposição. Se confirmada a perspectiva, Pintadas deverá ser uma das poucas cidades brasileiras geridas ininterruptamente pelo Partido dos Trabalhadores por mais de 12 anos. A outra cidade baiana com chances de alcançar a marca é Vitória da conquista.

Com índices comparáveis as do presidente Lula, o prefeito Valcyr desponta com 75,7% de aprovação da administração pela comunidade e 66% das intenções de voto na pesquisa estimulada. O adversário Damazinho (PR) tem 31,3% das intenções. Os brancos e nulos somam apenas 0,2% e os que não sabem ou não responderam 2,5%. A margem pode variar 5% para mais ou para menos.

A administração de Valcyr é bem avaliada positivamente em todos os setores do governo, com destaque para as áreas estruturantes como saúde e educação nas quais a aprovação chega a 69,1% e 75%, respectivamente. No quesito abastecimento de água, uma das principais demandas da região por estar localizada no semi-árido, o índice chega a 62,2%. No que se refere as ações implementadas na área de habitação a aprovação chega 43,2%, e  59,2% para o meio ambiente.

A estreita relação entre o governo municipal, a equipe de trabalho e as organizações sociais na execução das políticas públicas são, para o prefeito Valcyr, o grande diferencial da gestão petista em Pintadas. “Não há um distanciamento entre o público e a sociedade civil, pelo contrário, há uma grande sintonia entre as duas esferas”, afirma.

Ele acredita que parte dessa aprovação é resultado de um projeto político diferente, que vem sendo construído processualmente desde a gestão de Neusa Cadore. “Quando assumiu a prefeitura (entre 1994 e 2007), Neusa enfrentou a retaliação do governo estadual, mas implementou uma série de políticas sociais com apoio da sociedade civil organizada e de ONGs internacionais e conseguiu fazer o ajuste nas contas públicas”, afirma. Segundo Valcyr isso possibilitou um equilíbrio financeiro do município, aumentando a capacidade de investimentos durante a sua gestão e foi ainda maior com o apoio governo Lula, a vitória do governador Jaques Wagner e de Neusa como deputada estadual. Valcyr diz ainda que a partir dessa relação Pintadas conseguiu canalizar recursos como nunca antes foi possível, a exemplo da conquista de investimentos para pavimentação de diversas localidades, saindo da marca de 30% para 70% da cobertura.

Inversão de prioridades

Desde a primeira gestão do PT, comandada pela atual deputada estadual Neusa Cadore, Pintadas conseguiu avançar em todas as áreas sociais, com investimento em políticas públicas, gestão de forma compartilhada com os diversos setores sociais e a inversão das prioridades no orçamento público. O conjunto das ações realizadas rendeu reconhecimento ao município ao longo desses anos tanto em nível nacional como internacional. O prêmio de Gestão Pública e Cidadania pela Fundação Getúlio Vargas (2003), o de Melhores Práticas, pela Caixa Econômica Federal em 2004, a indicação da então prefeita ao Prêmio Cláudia, para mulheres que estão transformando o país, e mais recentemente, o projeto Pintadas Solar, que testa o uso de tecnologias renováveis na agricultura irrigada, recebeu o prêmio internacional do Instituto SEED.

Quando o PT assumiu a prefeitura existiam quase 1.000 alunos fora da rede escolar e muitos professores sequer tinham ensino fundamental completo. Foram feitos investimentos em qualificação dos professores, na melhoria do transporte escolar e na infra-estrutura física das escolas. Hoje o município ocupa a 24ª posição no IDEB (Índice de Avaliação da Educação Básica) e tem quase 100% das demandas nessa área atendidas.

Pintadas foi o primeiro município do Nordeste a alcançar a marca de 100% de cisternas na zona rural do município, resolvendo um problema antes considerado crônico na região. Além disso, vem promovendo ao longo dos anos diversas ações de convivência com o semi-árido.

Na área da Saúde, segundo Valcyr, a boa avaliação resulta da universalização do serviço, porque hoje não existe atrelamento a lideranças políticas para se conseguir o acesso aos procedimentos de saúde. Com 10 mil habitantes, o município conta quatro de equipes do Programa Saúde da Família instaladas e uma Unidade do CEO (Centro de Especialidades Odontológicas) que poucos municípios da região dispõem.

No setor produtivo houve um grande impacto com a implementação de programas como o PRONAF, com a construção do abatedouro e frigorífico do sertão que vai atender toda a região e já está gerando emprego e renda, entre outras iniciativas.

Para Valcyr, há no município um sentimento generalizado de que esse é o melhor momento político e que não se pode perder esse modelo de gestão que vem dando certo. A quarta gestão deverá ser marcada pela continuidade das políticas estruturantes. Hoje a grande expectativa da comunidade é o asfaltamento da estrada que liga o município até Ipirá, a efetivação de 100% de energia elétrica e a cobertura integral da rede de esgoto, que atualmente chega a 70% dos domicílios.

A deputada Neusa Cadore, que rompeu o círculo de gestão carlista no município, comemora os índices e ressalta que isso é resultado da inversão de prioridades aplicada desde o início, da gestão participativa, democrática e de forma transparente. “Pintadas conseguiu construir as bases necessárias para o seu desenvolvimento e a comunidade abraçou esse projeto político com a consciência de que cada um é responsável pelo futuro do município”, enfatiza.

Veja também

A antirreforma trabalhista: sem direitos e sem emprego | Miguel Rossetto

A nova reforma trabalhista é filha do golpe contra a democracia, a soberania nacional e os direitos do povo. Reduz o valor do trabalho e aumenta a exploração do trabalhador. Interrompe o ciclo virtuoso iniciado em 2003. Quer enfraquecer os sindicatos, acabar com direitos trabalhistas, dificultar o acesso à Justiça.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Comente com o Facebook