Home / Conteúdos / Artigos / Uma defesa feminista da Redução da Jornada de Trabalho

Uma defesa feminista da Redução da Jornada de Trabalho

Todos e todas nós, sindicalistas e feministas, sabemos que a inserção da mulher no mercado de trabalho tem um perfil absolutamente desigual em relação ao homem trabalhador. Da mesma forma, sabemos muito bem que o alongamento da jornada de trabalho prejudica principalmente a mulher trabalhadora. Como somos a parcela mais pobre da população brasileira, essa inserção desigual nos condena a reproduzir e intensificar a pobreza. A ação sindical em torno da redução da jornada de trabalho tem enorme potencial para alterar a condição da mulher trabalhadora, mas tal medida somente logrará sucesso rumo a esse objetivo se vier acompanhada de políticas públicas que possibilitem a valorização social do trabalho doméstico não remunerado.

Confira o artigo na íntegra no Site da CSD

Veja também

A Reforma da previdência não acabou | Janeslei Albuquerque

Governos estaduais buscam aprovação nas assembleias legislativas de mudanças previdenciárias e nas carreiras do serviço público ainda mais severas que aquelas propostas por Jair Bolsonaro, Paulo Guedes e Rodrigo Maia. Realizadas “em regime de urgência” essas medidas tentam impedir o debate com a sociedade. Os trabalhadores reagem, com razão, e vêm contando com o apoio da sociedade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Comente com o Facebook