Home / Conteúdos / Artigos / Uma marcha para barrar as demissões

Uma marcha para barrar as demissões

É impressionante a sensação de enxugar gelo que vivenciamos em nosso país no que diz respeito ao emprego dos trabalhadores. Entre janeiro e agosto deste ano, 9,7 milhões de pessoas foram admitidas e, no mesmo período, quase 8,4 milhões perderam seus empregos. Isso quer dizer que o país tem criado mais empregos com carteira assinada e, ao mesmo tempo, mais pessoas também estão sendo demitidas. A IV Marcha Nacional da Classe Trabalhadora, que ocorrerá dia 5 de dezembro, propõe que a Convenção 158 da OIT seja ratificada novamente, como mecanismo para coibir o poder absoluto do empresariado em demitir trabalhadores.

Clique e leia o artigo no site da CSD.

Veja também

A Reforma da previdência não acabou | Janeslei Albuquerque

Governos estaduais buscam aprovação nas assembleias legislativas de mudanças previdenciárias e nas carreiras do serviço público ainda mais severas que aquelas propostas por Jair Bolsonaro, Paulo Guedes e Rodrigo Maia. Realizadas “em regime de urgência” essas medidas tentam impedir o debate com a sociedade. Os trabalhadores reagem, com razão, e vêm contando com o apoio da sociedade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Comente com o Facebook