Notícias
Home / Conteúdos / Artigos / 9 DE ABRIL É DIA DE LUTA: #BOLSONARONUNCAMAIS

9 DE ABRIL É DIA DE LUTA: #BOLSONARONUNCAMAIS

Movimentos populares, centrais sindicais e entidades filiadas à CUT preparam um dia nacional de mobilização em diversas cidades do Brasil, no próximo sábado (9), contra a carestia, o aumento dos preços dos alimentos, dos combustíveis e do gás, a fome e o desemprego. Confira abaixo onde já tem ato marcado.

Com informações do Portal da CUT e da Campanha Fora Bolsonaro

#BolsonaroNuncaMais é o grito da população que sofre com todas as mazelas do desgoverno de Jair Bolsonaro (PL), desaprovado por 63% dos brasileiros, segundo pesquisa do instituto Ipespe, divulgada nesta quarta-feira (6). O percentual de brasileiros que acreditam que a economia vai no caminho errado é o mesmo, 63%, e refletem a preocupação com as altas taxas de desemprego e disparada da inflação, impactada principalmente pelo aumento dos preços da gasolina, diesel e gás de cozinha e os dos alimentos.

Organização dos atos

As manifestações deste sábado, já marcadas em 13 capitais, foram convocadas pela Campanha Fora Bolsonaro.

Para a professora e secretária de Relação com os Movimentos Sociais da CUT, Janeslei Albuquerque, ir às ruas neste sábado é fundamental para “enfatizar que a destruição” do país é culpa de Bolsonaro. “É um ato para enfatizar a destruição, o aprofundamento da perda da soberania, que é o centro do projeto bolsonarista”, diz ela.

“É a destruição também do campo ambiental, envenenamento dos rios, do genocídio indígena, do sistema educacional brasileiro, da ciência e pesquisa que sofreu um corte total de financiamento”, complementa a dirigente.

Confira onde já tem atos confirmados: (Última atualização 06/04 | 16h)

Sistematização: Central de Mídia das Frentes Brasil Popular, Povo Sem Medo, Fora Bolsonaro Nacional

Norte
AP – Macapá – Praça da Bandeira | 16h
PA – Belém – Escadinha da Presidente Vargas | 8h

Nordeste
BA – Itabuna – Praça Adami | 9h
BA – Feira de Santana – Estacionamento em frente à prefeitura | 8h30
BA – Salvador – Concentração no Campo Grande | 14h
CE – Fortaleza – Praça Portugal | 15h
MA – Imperatriz – Calçadão, Centro | 9h
MA – Santa Inês – Praça das Laranjeiras | 8h
MA – São Luís – Praça João Lisboa | 9h
PE – Recife – Parque Treze de Maio | 9h
PI – Teresina – Praça da Liberdade | 8h
SE – Aracaju – Praça de Evento dos Mercados | 8h
RN – Natal – Em frente ao Midway | 15h

Centro-Oeste
DF – Brasília – Museu da República | 16h
GO – Goiânia – Praça do Trabalhador | 16h
GO – Rio Verde – (Aguardando Infos) | 9h
MS – Campo Grande – Avenida Afonso Pela c/ 14 de Julho | 9h

Sudeste
MG – Barbacena – Praça São Sebastião | 8h30
MG – Belo Horizonte – Praça Afonso Arinos | 9h30
MG – Juiz de Fora – Parque Halfel | 10h
MG – Montes Claros – Mercado Municipal | 8h
RJ – Campo dos Goytacazes – UFF Campos | 9h
RJ – Rio de Janeiro – Candelária | 10h
SP – Botucatu – Praça do Bosque | 14h
SP – Jaguariúna – Campinas Largo do Rosário | 9h
SP – Marília – Praça da Ilha, em frente a Galeria Atenas | 9h30
SP – Osasco – Estação de Osasco | 12h30
SP – Ribeirão Preto – Esplanada Theatro Pedro II | 9h
SP – Santos – Estação da Cidadania, Av. Ana Costa 340 | 16h
SP – São Paulo – Praça da República | 14h
SP – São Vicente – Praça Barão | 10h

Sul
PR – Cascavel – Em frente a Catedral | 9h
PR – Curitiba – Praça Generoso Marques | 14h30
PR – Umuarama – Praça Arthur Thomas | 10h
PR – Foz do Iguaçu – Praça da Bíblia | 18h
RS – Novo Hamburgo – Praça do Imigrante | 10h
RS – Pelotas – Mercado Público | 10h
RS – Porto Alegre – Largo Glênio Peres | 15h
RS – Santa Maria – Praça Saldanha Marinho | 14h
SC – Florianópolis – Largo da Alfândega | 9h
SC – Joinville – Praça da Bandeira | 14h

🌎🌍 No Exterior
🇨🇭 Suíça – Zurique – Flashmob e ato Rua ao lado da casa do Povo em frente a praça Nenhuma a Menos. Klimarkirche, Wibichstrasse 43, ZH | 17h (horário local)

 

Veja também

Politizar o cuidado e transformar a economia | Tica Moreno

“Sem cuidado a vida não é possível”. “Isso que chamam de amor é trabalho não pago”. “O trabalho doméstico só é visível quando não é feito”. Essas frases são repetidas há décadas pelas feministas, e com a pandemia parecem ter encontrado mais eco.

Comente com o Facebook