Home / Temas / Brasil / As mulheres e eleições do segundo turno em Fortaleza

As mulheres e eleições do segundo turno em Fortaleza

Créditos: Tarcísio Aquino

As eleições de 2020, não bastasse a pandemia, a crise econômica e social e os perigos de mais retrocessos sobre os direitos do povo, se deram, no primeiro turno, com o uso da misoginia e da violência política contra as mulheres. Não por acaso, essa questão vem ganhando corpo desde o golpe de 2016, contra a então Presidente Dilma Rousseff, eleita democraticamente. Essa violência tem crescido sob o clima do bolsonarismo e, também, têm sido adotada por outros setores da política. Um exemplo disso foi a campanha de mentiras lançadas contra a então candidata Luizianne Lins em Fortaleza.

Passado o primeiro turno, nós mulheres, não podemos chegar ao segundo sem colocar a devida importância ao problema do machismo como prática política recorrente e, principalmente, porque demos impulso à campanha “Por Mais Mulheres na Política” que trouxe maior significado à nossa luta política por maior representação e ampliou nossa consciência e resistência. Com isso, mulheres negras, indígenas, trans foram eleitas em vários municípios do Brasil, reforçando em nós, a compreensão de que não vamos abrir mão do compromisso com o feminismo, o antirracismo, as lutas LGBTI e demais lutas populares que devem pautar qualquer diálogo crítico para o segundo turno.

Em Fortaleza, o poder econômico e o aparelhamento da máquina pública se hegemonizaram em contraposição ao projeto de cidade apresentado pela chapa Luizianne Lins e Vladyson Viana (PT), que viabilizaria a reconquista de políticas públicas e ações governamentais para garantir direitos, desenvolvimento, dignidade e segurança para a maioria da população, em especial às mulheres.

Restam então duas candidaturas, ambas até aqui incapazes de merecerem nossa confiança. De um lado, o capitão Wagner com sua base bolsonarista e os riscos que isso representa para a vida das pessoas e para a democracia. Nesse sentido, as mulheres se levantam contra o fascismo e contra seu representante, o capitão Wagner; de outro lado, o candidato da situação, Sarto, que apesar de se opor ao governo Bolsonaro, herda o projeto do atual prefeito Roberto Cláudio, até aqui levado a cabo pelo PDT, que em 8 anos desmontou todos os equipamentos e serviços de promoção de direitos e de proteção às mulheres. Nas 12 propostas apresentadas por Sarto no primeiro turno, nenhuma faz referência direta às mulheres. Isto é grave na medida em que somos a maioria do eleitorado.

Estamos desconfortáveis com esse resultado, mas entendemos que a política é um campo de disputas e diálogos por nossas aspirações de igualdade e liberdade. O momento histórico nos chama à resistência contra a ameaça de avanço do fascismo e da violência sobre nossa cidade, mas também exige que sejamos firmes com os compromissos indispensáveis para nós mulheres, de modo que refutar o candidato de Bolsonaro, não significa aderir, incondicionalmente, ao candidato dos Ferreira Gomes.

Sarto precisa do voto das mulheres, que em Fortaleza representam 53,19%. Por isso mesmo, nos deve o respeito exigido com um pedido de desculpas por sua prática misógina no primeiro turno, com ataques mentirosos à Luizianne Lins que atingiu a todas nós mulheres.

Atenderemos ao chamado histórico por um posicionamento no segundo turno, sendo a opção que nos resta, mas não sem exigir do candidato Sarto do PDT, compromissos claros com nossas bandeiras e com o projeto apresentado pela candidatura petista, no sentido de incluir em seu programa as propostas voltadas para as mulheres, além da defesa da saúde pública e do SUS, da educação de qualidade social, especialmente, com a ampliação do atendimento em creches de tempo integral.

Conclamamos à vigilância, ao voto crítico e de atenção e luta permanente, para que nossas históricas reivindicações por equidade, participação na política, combate às desigualdades e políticas sociais sejam consideradas para garantir a vida com dignidade para nós mulheres.

Capitão Não! Fora Bolsonaro!

Assinam:
1. Gema Galgani Esmeraldo – feminista, professora aposentada da UFC
2. Martír Silva – feminista, militante do movimento negro, Advogada e professora universitária
3. Zélia Franklin – ambientalista, fundadora do PT Ceará, Advogada, servidora pública estadual
4. Mariana Lacerda – feminista, membro da executiva municipal do PT, graduanda em Ciências Sociais
5. Liduina Marques – feminista, cabeleireira, dirigente sindical
6. Antônia Araújo – feminista, militante do movimento negro, professora
7. Ticiana Studart – feminista, secretária de movimentos populares do PT Ceará, assessora parlamentar
8. Mitchelle Meira – feminista, secretária LGBT do PT Ceará, assessora parlamentar
9. Aline Saraiva Ribeiro da Silva – Professora da rede municipal de Fortaleza
10. Elaene Rodrigues – feminista, assistente social, professora da UnB
11. Adriana Santiago Araujo – jornalista e professora
12. Neiara de Morais – advogada e professora visitante da UECE
13. Ana Cláudia Peres – jornalista da Radis
14. Fabíola Liper – compositora, cantora, atriz e dramaturga
15. Adriane Lima Braga – empreendedora e moradora da Granja Portugual.
16. Isabelle Azevedo Ferreira, feminista, jornalista e professora universitária.
17. Antonia Valdenia Araujo – Professora de história da rede estadual de uma educação
18. Raquel Viana – feminista, assistente social
19. Francisca Clara de Paula Oliveira – Professora da URCA
20. Cleide Lemos – professora, feminista, filiada ao PT, integrante da #partidA e da ABJD
21. Valéria Gercina das Neves Carvalho/ Professora aposentada e membro do Grupo de Valorização Negra do Cariri
22. Marlene de Sousa nunes – atônoma
23. Vilena Soares – feminista, artesã
24. Kalina Lopes Carneiro – feminista, médica
25. Ecila Meneses – atriz, professora e militante petista.
26. Nazaré Antero – aposentada, integrante do coletivo feminista Mulheres do Ceará com Dilma
27. Maria Ronilda de Oliveira – aposentada, sindicalista e integrante do Coletivo Feminista Mulheres do Ceará com Dilma
28. Maria Rodrigues Pinheiro, advogada, aposentada filiada ao Sindojusce, integrante do Coletivo Feminista Mulheres do Ceará com Dilma.
29. Veronica Camila Lima Maia – feminista, Advogada
30. Ana Lúcia Barros Maciel – militante feminista da Marcha Mundial das Mulheres
31. Dioneide Costa – feminista, Advogada
32. Helena Barbosa – cientista social, produtora cultural
33. Glicia Gadelha – produtora executiva e gestora cultural
34. Cynthia Studart Albuquerque – feminista, anti proibicionista, assistente social, professora do IFCE
35. Andrea Vasconcelos – feminista, socióloga e produtora cultural
36. Daniela Alencar – feminista, Advogada
37. Denise Barroso – agente de defesa civil, bacharel em direito, assessora parlamentar
38. Geyse Anne Souza da Silva, estudante, dirigente estadual do PT Ceará.
39. Adriana Lima Braga. Feminista e empreendedora
40. Zaneir Gonçalves Teixeira, Advogada e Professora Universitária
41. Nilze Costa – escritora, negra, feminista, integrante do Mov. Mulheres do Ceará com Dilma
42. Cristina Nobre, assistente social e professora da Uece.
43. Lourdes Góes, feminista, professora aposentada da URCA
44. Margarida Furtado – Professora Aposentada UECE, Integrante do Coletivo Mulheres do Ceará com Dilma
45. Neuma Pereira Lopes – professora aposentada da UECE
46. Angela Julita Leitão de Carvalho, professora
47. Heloísa Martins Bandeira da Silva – feminista, petista, profissional de educação física
48. Laudelina Freire de Aguiar – professora
49. Jaciara Almeida Carneiro – feminista, ambientalista, bacharel em Direito
50. Alexandrina Mota – especialista em Políticas Públicas, integrante dos coletivos Mulheres do Ceará com Dilma e do Fórum de Mulheres no Fisco
51. Zélia Gomes, membro do conselho de saúde do araturi, diretório PT Caucaia
52. Natyelle Martins da Silva, feminista, Estudante Letras Libras UFC
53. Rita Ferreira -Bancária , militante feminista do Comitê de Mulheres Bancárias Ana Dantas
54. Manu de Oya – coletivo Ayoká
55. Giane Rodrigues Costa – Administradora e militante petista
56. Sônia Gomes, ativista social, integrante do Fórum de Mulheres no Fisco.
57. Heloisa Esteves Gurgel do Amaral – Enfermeira e militante
58. Vanda Magalhães Leitão – professora aposentada da UFC
59. Helena Sant’anna – Feminista, Dirigente Sindical e militante
60. Maria Ednuzia Morreira – Militante petista
61. Willa Holanda de Lima – produtora cultura, filiada ao PT
62. Ana Célia – Rede de economia solidária e Feminista/RESF/CE
63. Luiza Maria de Oliveira Lins – Professora aposentada da PMF
64. Maria Íris Tavares Farias – Historiadora, feminista e educadora social.
65. Adelaide Gonçalves – Historiadora, professora da UFC
66. Ana Amelia M.C. de Melo – professora da UFC
67. Eveline Monteiro Machado – produtora cultural
68. Lana Kelly – professora, feminista, assessora parlamentar
69. Celina Maria Abrahão Bomfim – Assistente Social e servidora públucavda SESA
70. Jessika Sales Oliveira – pedagoga
71. Aila Marques – professora aposentada, feminista, membro do diretório municipal do PT
72. Ana Edite Studart – feminista, educadora
73. Maria Kelly Farias Alves – Assistente Social, feminista e militante da CMP
74. Fátima Bandeira – jornalista, coletivo feminista Mulheres do Ceará com Dilma
75. Rita de Cassia Bezerra de Oliveira Sousa – assessora parlamentar, dirigente do PT Caucaia
76. Ana Jéssica do Nascimento Silva – estudante do IFCE, diretora de assistência estudantil da UNE
77. Iêda Rodrigues – Professora nos municípios Fortaleza e Caucaia
78. Maria Eliane Silva de Almeida – militante Feminista da Casa de Cultura e Defesa da Mulher Chiquinha Gonzaga
79. Sylvia Sousa – assistente social
80. Régis Lenny Oliveira – feminista, turismóloga, militante do PT
81. Risoneide Sousa – feminista, militante da Marcha Mundial das Mulheres
82. Erotilde Honorio Silva – médica, professora aposentada da UFC
83. Adriana Gondim – feminista, militante da Marcha Mundial das Mulheres
84. Karla Karan Guerra – feminista, assistente social
85. Tatiana Raulino – feminista, assistente social, professora da UFCG
86. Teresinha de Jesus dos Santos – Presidenta do Diretório Municípal do PT Maracanaú
87. Socorro Sales – professora, direção do PT Caucaia
88. Fabiana Carvalho – feminista, militante petista, educadora social, microempreendedora
89. Vládia Furtado – coletivo de mulheres do PT
90. Adelle Azevedo Ferreira – engenheira ambiental, feminista e ambientalista
91. Saskya Vaz – mulher brasileira, captadora de recursos para projetos sociais
92. Gláucia Lima – escritora, ativista sociocultural e membro do FMFi-Fórum de Mulheres no Fisco
93. Guaraciara de Freitas Araujo – feminista, professora do município de Fortaleza, mestra em educação musical e petista
94. Zenilse Félix Rebouças – Servidora pública e integrante do Fórum de Mulheres no Fisco
95. Vitória Costa – Acadêmica de medicina, deficiente, feminista
96. Valéria Mendonça – feminista , Administradora Hospitalar , Ativista social , Coordenadora do Movimento Março Lilás
97. Ihvna Chacon – tradutora, co-orientadora académica do Escribas de Babel
98. Ilva Mila Sousa-servidora pública
99. Wládia Fernandes – Jornalista e membro da Executiva Municipal do PT Fortaleza
100. Neyliane Oliveira – Advogada
101. Cecília Menezes – coletivo feminista Mulheres do Ceará com Dilma.
102. Nádia Vanessa Faheina Chaves – professora
103. Socorro Resque Vieira – administradora de recursos humanos
104. Alba Cristina Nogueira Lopes – aposentada, feminista, sindicalista, petista, integrante do Coletivo Mulheres do Ceará com Dilma
105. Ana Cláudia silva de Sousa – Secretaria de mulheres da Fetrace, dirigente estadual da CUT Ceará
106. Marina Oliboni – Coletivo de Mulheres do PT Ceará
107. Cris Malagueta – Cantora
108. Carolina Dumaresq – feminista, jornalista, servidora pública
109. Mariana Abreu – psicóloga e empresária
110. Maria do Socorro Costa Rodrigues. Analista Social
111. Jéssica Monteiro – professora, artista e feminista
112. Marta Pinheiro – produtora cultural, poetisa
113. Alana Lima – Psicológa e residente em Saúde da Família
114. Jana Alencar Eleuterio , Feminista, Assistente Social e Professora Universitária
115. Danielle Claudio de Brito – Assistente Social
116. Marlla Araújo Pontes Meira – advogada
117. Mila Dumaresq – feminista, Advogada, servidora pública
118. Kelly Arruda – feminista, pesquisadora, gestora em direitos humanos, doula e educadora perinatal
119. Geórgia Pitombeira Figueiredo – feminista, geógrafa, fungicultora.
120. Amanda Braga – Secretaria de Juventude do Sindicato dos Comércios de Fortaleza
121. Alyssia Maria Oliveira Teixeira – Secretaria de Organização do DCE da UFC, Estudante de Pedagogia da Universidade Federal do Ceará
122. Vanusa da Silva Correia – mulher, mãe e avó, responsável pelo projeto DESAPEGO
123. Lívia Marques – Diretora do Sindibeleza
124. Marlene Oliveira Silva – aposentada, integrante do Fórum de Mulheres no Fisco.
125. Margarida Pinheiro – feminista, assistente social, membro do Mulheres com Dilma
126. Maria Uberlândia Agostinho Figueredo – Gestora de RH, militante do PT, secretária parlamentar
127. Silvania Vieira – movimento de mulheres Orquídeas/ Parque Santana
128. Ana Lucia Alves – professora, feminista e petista
129. Expedita Maria de Araújo Oliveira – feminista e produtora do grupo Soliart
130. Ana Cléia Saraiva – Educadora Social e Massoterapeuta, Integrante do Fórum de Mulheres no Fisco e Comunidades Eclesiais de Base da Arquidiocese de Fortaleza
131. Genilda Gomes – Educadora, feminista e assessora parlamentar
132. Ana Paula Silveira de Moraes Vasconcelos – feminista, Assistente Social, docente e assessora da Fiocruz
133. Marcia Helena Carvalho Lopes – Assistente Social, Professora e Ex Ministra do Desenvolvimento Social no Governo do Presidente Lula
134. Luciana Castelo Branco – Professora, Dirigente Municipal do PT, Conselheira Fiscal do PT Nacional e representante do Fórum Cultural do Benfica
135. Regivandra Lima de Almeida- ativista, militante, professora e jornalista
136. Mara Guedes – professora aposentada, militante feminista e do PT, ex vereadora, vice presidente do Conselho da Mulher Cratense e assessora de políticas públicas para mulheres do município do Crato.
137. Vania Oliveira – movimento orquídeas Parque Santana
138. Vanessa Cassiano – estudante
139. Claudilene Barbosa- dona de casa
140. Maria de Lourdes Nunes Bernardo – Terapeuta Holística
141. Patrícia Castelo Branco- confeiteira – movimento orquídeas Parque Santana
142. Iraneide Castelo Branco- cuidadora de idosos – movimento orquídeas Parque Santana
143. Veronica Guedes – jornalista e cineasta
144. Maria Wélia Matias Rebouças – feminista, ambientalista, licenciada em Filosofia e acadêmica de direito
145. Amanda Cavalcante Frota – Enfermeira Sanitarista, Educadora e Pesquisadora do SUS.
146. Vaneza F.A Cavalcante , Professora e doutoranda em sociologia da UFC
147. Núbia Caetano, Psicológa e militante do Fórum Cearense da Luta Antimanicomial
148. Irenice Oliveira – Assistente Social é servidora municipal de Fortaleza.
149. Mércia Cardoso de Souza, professora universitária e servidora pública
150. Lorena Gomes – Administradora
151. Eliene Soares- Psicopedagoga

Veja também

Participação popular como eixo estruturante de um plano para o país | Ubiratan de Souza

Artigo do NAPP Estado, democracia e instituições e de Ubiratan de Souza (Bira). A socialização da política e a socialização do poder estão na raiz do processo do OP, condições fundamentais na construção de um novo modelo alternativo de desenvolvimento econômico e social sustentável para o nosso país, com soberania e liberdade.

Comente com o Facebook