Home / Conteúdos / Notícias / O Genocídio contra Palestina em números

O Genocídio contra Palestina em números

1528279

Algumas cifras que demonstram o genocídio contra o povo palestino.
Até quarta-feira 30 de julho:

– 23 dias de onfesiva israelense

– 1.340 mortos na Faixa de Gaza e 7.200 feridos. Destes, 166 menores de 12 anos.
– 13 palestinos mortos em combates com forças de segurança israelense em Cisjordânia, afirma o grupo de direitos humanos israelense B’Tselem.

– Seis jornalistas mortos.

– 4.100 objetivos atacados por mísseis e projéteis israelenses, informa o exército.

– 2.670 foguetes lançados contra território israelense pelo Hamas, a Yihad e outros grupos armados na Faixa de Gaza, reconhece o exército.

– 513 foguetes lançados por milicianos palestinos que caíram por por equívoco na Faixa de Gaza, assegura o exército israelense. Outros impactaram em campo aberto e alguns atingiram várias casas, ao não ser possível interceptá-los pelo sistema Cúpula de Ferro.

– 240.000 habitantes de Gaza deslocados que buscaram refúgio em escolas da UNRWA, a agência da ONU para os refugiados palestinos. Seis escolas foram bombardeadas.

– 747 habitações destruídas ou atingidas em Gaza, reporta a Oficina para a Coordenação de Assuntos Humanitários (OCHA).

– 90% dos 1 milhão e 800 mil habitantes da Faixa de Gaza sem eletricidade após o ataque contra o único gerador da zona que danificou as principais linhas que conectam a Faixa de Gaza com Israel. A OCHA aponta o fato de que na cidade de Gaza os residentes tem aproximadamente duas horas de eletricidade, ao dia. Já as áreas centrais da Faixa de Gaza não tem acesso algum.

Artigo originalmente publicado em www.contextolatinoamericano.com

Veja também

XII Conferência Nacional: emendas e debates

Nos aproximamos da realização da XII Conferência Nacional da Democracia Socialista, que acontece nos dias 1 a 3 de dezembro, no Sindicato dos Químicos, em São Paulo. As conferências estaduais já aconteceram em diversas regiões do país e se completam no próximo fim de semana. Os debates têm sido importantes e enriquecedores ao anteprojeto de resolução política. Divulgamos as emendas apresentadas até agora.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Comente com o Facebook