Notícias
Home / Conteúdos / Artigos / Primeiro eles tomaram Roma: como a extrema direita conquistou a Itália após a operação Mãos Limpas

Primeiro eles tomaram Roma: como a extrema direita conquistou a Itália após a operação Mãos Limpas

Por que a Itália se tornou um desastre político?

Há pouca explicação detalhando por que deu tudo errado na Itália nas últimas três décadas. O crescimento econômico estagnou, a infraestrutura desmoronou e os jovens desempregados não têm mais futuro. Esses problemas são reflexos da política que dominou o país, dos escândalos de Silvio Berlusconi à ascensão da extrema direita.

Muitos comentaristas culpam o mal-estar da Itália por males culturais – apontando para a corrupção da vida pública ou um atraso supostamente endêmico. Nessa leitura, a Itália não convergiu com as reformas neoliberais montadas por outros países europeus, ficando atrás do resto do mundo.

Primeiro eles tomaram Roma oferece uma perspectiva diferente: a Itália não está deixando de acompanhar seus pares internacionais, mas está mais adiantada no mesmo caminho de declínio neoliberal que os demais países estão seguindo. Na década de 1980, a Itália ostentava o Partido Comunista mais forte do Ocidente; hoje, a solidariedade social está em colapso, os trabalhadores sentem-se cada vez mais atomizados e as instituições democráticas tornam-se cada vez mais obsoletas.

Estudando a ascensão de forças como o Lega de Matteo Salvini, este livro mostra como a extrema direita se valeu de uma fraudulenta operação judicial e um poço profundo de desespero social, ignorado pelo centro liberal. A história recente da Itália é um aviso do futuro – e o colapso da vida pública corre o risco de se espalhar por todo Ocidente.

Clique AQUI para ler.

Sobre o autor

David Broder é escritor e tradutor morando atualmente em Roma. É editor da revista Jacobin e escreve regularmente sobre política italiana para publicações como a Internazionale.

Veja também

Alerta Feminista | FNLPA

Nota pública da Frente Nacional Contra a Criminalização das Mulheres e pela Legalização do Aborto. …

Comente com o Facebook