Home / Conteúdos / Notícias / Filme “1964-Um golpe contra o Brasil” será exibido no próximo sábado

Filme “1964-Um golpe contra o Brasil” será exibido no próximo sábado

488985O documentário “1964 – Um golpe contra o Brasil”, de Alipio Freire, será reapresentado no próximo sábado (16), em São Paulo. A sessão de lançamento do filme, realizada no início do mês, teve grande repercussão, originando essa nova exibição, que abrirá a programação deste ano do Projeto Cine Bijou – Cinema e Memória, às 14h, no Teatro Studio 184 (Praça Roosevelt, 184), antiga sala Sérgio Cardoso do Cine Bijou.

Feito a partir de depoimentos de personagens que viveram, como militantes, aquele período, o filme discute as razões que levaram ao golpe civil e militar que derrubou o governo do presidente João Goulart.

Almino Affonso, à época deputado federal e ministro do Trabalho do governo Jango, Rafael Martinelli, dirigente do Comando Geral dos Trabalhadores (CGT), a socióloga Maria Victoria Benevides, o médico Reinaldo Murano, o então presidente da UNE (União Nacional dos Estudantes), Aldo Arantes, e o coordenador nacional do MST João Pedro Stedile estão entre os personagens ouvidos.

O filme traz ainda uma série de depoimentos e revelações inéditas sobre as tentativas de golpe anteriores de Jânio Quadros, e o papel central dos EUA no golpe civil-militar dado no Brasil. Ele pretende ser um dos primeiros e mais contundentes materiais formativos acerca dos 50 anos do golpe, e deve ter como público fundamental, nas palavras do diretor, “os estudantes, trabalhadores e trabalhadoras mais jovens, para que eles possam conhecer melhor nossa história e formarem a sua própria opinião”.

O documentário é uma produção do Núcleo de Preservação da Memória Política e da TVT – Televisão dos Trabalhadores, com apoio do Memorial da Resistência de São Paulo e da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo.

Assista abaixo a entrevista do diretor, Alípio Freire, falando sobre o filme

Veja também

Nalu Faria, da Marcha Mundial das Mulheres, fala sobre protagonismo feminino

Em entrevista à Rádio Brasil de Fato, coordenadora da Marcha enaltece as mulheres como sujeitos ativos nos últimos atos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Comente com o Facebook